8 Mulheres para o 8M: Desportistas que conseguiram êxitos

8 Mulheres para o 8M: Desportistas que conseguiram êxitos

O Dia Internacional da Mulher está a chegar, e nó da HSN queremos reconhecer os êxitos desportivos femininos conseguidos ao longo da historia. Quem disse que elas não podem conseguir o que elas querem? 

êxitos femininos

O que é o 8M?

Esse dia esta reservado no calendário para comemorar o Dia Internacional da Mulher, neste ano de 2020, de acordo com a ONU, vai ter destaque os direitos das mulheres e a igualdade de género.

Por isso, o lema ‘Sou da Geração da Igualdade: Pelos Direitos das Mulheres’, esse dia se reúnem milhões de pessoas de todos os géneros, idades, origens, raças, religiões e países.

O objetivo? Promover ações que consigam um mundo igualitário entre sexos, que demandam e merecem as mulheres de todo o mundo.

Qual é a sua origem?

Este dia foi reconhecido pelas Nações Unidas em 1975 e comemora-se esta data praticamente em todos os lugares do mundo.

Sua origem foi no inicio do século XX. Concretamente, em 1908 em Nova York, um grupo de até 15.000 mulheres manifestaram pedindo uma melhore de salários, menos horas de trabalho, além disso da possibilidade para votar, nessa data ainda era proibido só por serem mulheres.

Dois anos mais tarde, na Conferência Internacional da Mulher Trabalhadora celebrada na Dinamarca, a alemã Clara Zetkin propôs a celebração de um dia no qual as mulheres reclamavam os seus direitos. Um ano mais tarde celebrou-se então o primeiro, embora foi um 19 de março.

Então quando foi elegido o 8 de março como o Dia Internacional da Mulher?

Na verdade não foi elegido assim por que sim. surgiu em uma das reuniões e movimentos em procura da paz prévia da I Guerra Mundial. Naquele momento, na Rússia, as mulheres começaram a reunir-se no último domingo de fevereiro para protestar pela guerra e em pelos direitos das mulheres. No resto da Europa certas celebrações realizarão-se o 8 de março.

As Nações Unidas, em 1975, reconheceu como Ano Internacional da Mulher, e se formalizou este dia como o reconhecimento do papel da mulher e os seu direitos.

papel da mulher no desporto

Mulher e o Desporto

De acordo com os dados facilitados nos últimos anos, a presença de mulheres desportivas cresceu nos últimos anos.

Como podemos comprovar no informe Women and Sport (Nielsen, 2016), que declara que na actualidade quase o 50% das mulheres no mundo demonstraram interesse pelo desporto.

Esse interesse é devido, de acordo com o informe, com base desde os anos 80, quando a mulher começou a interessar pelo mundo do desporto ao começar a praticar nas escolas. Em dados, as mulheres que participavam em actividades desportivas nas escolas tem um 76% de probabilidades de seguir interessados no desporto do resto da sua vida.

Mais, quais são os desportos mais praticados pelas mulheres nos últimos anos? De acordo com os dados do informe, running e ciclismo são os desportos mais praticados pelas mulheres.

Embora, como veremos seguidamente, a mulher sempre esteve presente no mundo do desporto.

mulher desporto evolução

Êxitos da mulher no desporto

Reconhecendo o papel da mulher na sociedade e no desporto, apoiando a igualdade em todos os âmbitos da vida, nós da HSN queremos fazer um resumo dos êxitos da mulher no desporto.

Conheces Katherine Switzer, Charlotte Cooper ou Jutta Kleinschmidt? Não percas nenhum detalhe do que vamos contar.

  • Katherine Switzer

    Foi a primeira mulher que correu uma maratona. Correu em 1967 em Boston (EEUU), quando esse tipo de corridas só podiam correr homens já que achavam que uma mulher não era correr os 42 quilómetros de distancia.

    Apesar de inscrever-se de forma oficial e ter um dorsal, durante a corrida, que a completou em 4 horas e 20 minutos; sofreu o intento de expulsão por parte dos colegas da prova e da organização.

  • Charlotte Cooper

    Umas décadas antes e no mundo do ténis, Charlotte Cooper converteu na primeira mulher em conseguir uma medalha olímpica. Esta britânica conseguiu a medalha em 1900, na Olimpíadas de Paris.

    Talvez o êxito para muitos é que essas olimpíadas foram as primeira que as mulheres participaram. Embora, Cooper já tinha ganho três torneios individuais de Wimbledon.

  • Larissa Latynina

    É a mulher com maior número de medalhas nos jogos olímpicos: 18, 9 delas de ouro, na modalidade de ginástica olímpica.

    Por isso, o Comité Olímpico Internacional outorgou a ela a ordem olímpica de prata, além disso a incluiu na International Gymnastic Hall of Fame em 1998.

    larissa latynina mais medalhas olimpicas

  • Florence Griffith

    Em 1988, nos pré-olímpicos Seúl’88, bateu o recorde do mundo dos 100 metros femininos, deixando o crono em 10,49, umas cifras que nenhuma mulher até a dada não conseguiu bater.

    Nesses jogos conseguiu as medalhas de ouro na mesma distancia e nos 200 metros, assim como nos relevos de 4×100 metros e uma prata em 4×400 metros.

    Outro dos seus êxitos é que ainda foi em um dos Jogos também em Seúl. Allí, Griffith bateu a marca mundial dos 200 metros em duas ocasiões: semifinais e final. A última, cifrada em 21,34 ainda é a melhor da marca da distancia feminina.

  • Jutta Kleinschmidt

    A primeira mulher em ganhar o rally mais duro do mundo: o Dakar. Ganhou depois de participar em motos e de ganhar uma etapa em coches (1997). Em 2001, depois de finalizar durante vários anos o pódio final, conseguiu a vitoria com o legendário Mitsubishi Pajero.

    Hoje em dia o Rally Dakar continua estando demasiado fechado paras as mulheres. Não em vão, que na última edição de 2020, só 12 mulheres participaram numa lista de inscritos superior as 570 pessoas.

  • Edurne Pasaban

    A espanhola foi a primeira mulher em completar a subida dos 14 oito mil. Ou seja, que ascendeu as 14 montanhas mais altas do mundo inteiro.

    Sua primeira subida foi em 2001 no Everest, enquanto que a última (para completar os 14) produziu-se no Shisha Pangma (Tíbet) em 2010.

  • Simone Biles

    É a mais jovem das 8 mulheres do 8M que destacamos na HSN, más não por isso a menos prestigiada. De facto, a norteamericana é a ginasta mais laureada de todos os tempos.

    Acumula uma medalha olímpica no Rio 2016 em ginástica artística, seis nacionais e cinco campeonatos do mundo. Além disso, também conseguiu grande reconhecimentos individuais em aparelhos, o que faz que seja a figura desportiva feminina mais reconhecida na actualidade.

    siminone biles jogos olimpicos

  • Teresa Perales

    26 medalhas paralímpicas fazem que sejam a mulher com mais medalhas na natação nacional. A isto temos que somar as 22 nos Mundiais de Natação Adaptada e foi porta-bandeira da delegação espanhola nos Jogos Paralímpicos de Londres 2012.

    Após perder a mobilidade nas pernas, Teresa Perales demorou um ano para aprender a nadar  começar a competir na piscina. Todo um exemplo de superação.

Outros conteúdos que podem interessar sobre o tema:

  • O futebol feminino vem com força, lê o artigo neste link
  • Uma guia de nutrição para a mulher desportista, aqui
Avaliação do Dia Internacional da Mulher

O que é 8M - 100%

Qual é o origem - 99%

A mulher no Desporto - 100%

Êxitos mais destacados - 100%

100%

HSN Evaluação: Nenhuma avaliação ainda!
Content Protection by DMCA.com
Confira também
dia internacional pessoas deficiencia
HSN colabora com o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência (IDPD) 2019

O nosso objetivo é aproximar o desporto, a inclusão e uma vida saudável, em HSN …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *