Análises Alteradas em Praticantes de Desporto

Análises Alteradas em Praticantes de Desporto

Analisamos os motivos de Análises Alteradas em Praticantes de Desporto

Os praticantes de desporto, estamos a falar em praticantes de desporto de força, ou praticantes de desporto de resistência, apresentam uma peculiaridade e particularidades especiais que às vezes se refletem na avaliação como «alterações» que devemos entender para não preocupar sem necessidade

Muitos de vós já foram ao médico, realizaram análises de rotina e obtiveram resultados alterados nas mesmas.

“Senta-te. Vais ver que os resultados das análises foram alterados”

Começas a mostrar preocupação e o médico começa a fazer perguntas: está a tomar alguma medicação? Fuma, bebe, alguma outra droga? Toma anabolizantes? Alguma doença anterior? Viajou para destinos exóticos?

Doctor

Sentes um nó no estômago. Começas a rir de forma solta… Tão solta como o esfíncter neste momento. “Mas, como é que podem correr mal as análises se sou praticante de desporto e alimento-me com a disciplina de um monge budista? 🤷O que é algo que só acontece ao meu vizinho do quinto andar, que está sempre no bar!”

Esta é uma situação muito comum, sobretudo, quando falamos sobre PRATICANTES DE DESPORTO

Porque é que os praticantes de desporto podem apresentar análises com os valores alterados?

Infelizmente, esta preocupação sem necessidade ocorre geralmente por vários motivos:

  • A maioria dos médicos não conhece a forma como o exercício, em geral, e determinados tipos de exercício, em particular, podem influenciar o perfil analítico de um indivíduo.

    Análises 1

Apesar disso, se souberem quais as doenças que causam a subida ou alteração dos valores que também sobem nos praticantes de desporto, pelo que vão à procura e encontram estas doenças sem pensar que podemos estar perante variantes na normalidade num grupo de pessoas muito «especial”

  • A maioria da população é sedentária e, por isso, os profissionais de saúde não estão habituados a ver este tipo de análises com frequênciaEnsaios

O que pode ser muito triste, mas é verdade. Os valores normais em análises são definidos com base em níveis estatísticos obtidos através de uma amostra da população. Estas pessoas que compõem a amostra são selecionadas aleatoriamente

O que é que acontece? Infelizmente, hoje em dia, mais de 60% da população é sedentária. Por isso, podemos afirmar com convicção que os valores normais na maioria dos laboratórios são definidos com base nas pessoas sedentárias e não em pessoas que praticam desporto. Se fores praticante de desporto, é diferente. Assume

  • O praticante de desporto é informado, de um modo geral, sobre a forma como podem variar os seus níveis devido ao exercício realizado.

Esta é uma fonte de ansiedade e preocupação importante

Saude e desporto
Nesta publicação, vamos falar sobre vários parâmetros que podem ser alterados em praticantes de desporto, explicaremos porque é que se alteram e o significado associado.

*Atenção, falamos sempre em indivíduos praticantes de desporto que NÃO utilizam EAAs (Esteroides Anabólicos Androgénicos). Estes podem causar outras alterações muito específicas sobre os quais falaremos noutra publicação se quiserem

Que valores podem subir nas minhas análises se for praticante de desporto?

Transaminases

As transaminases, como o nome indica, são enzimas hepáticas responsáveis pela transaminação, ou seja, transportar grupos amino de um lado para o outro para sintetizar e degradar aminoácidos não essenciais. Recordo a todos que os aminoácidos são os constituintes das proteínas.

Entre estas enzimas encontramos as seguintes:

  • ALT-GPT (Alanina Amino-transferase ou glutamato-piruvato transaminase, de forma indistinta): encontra-se no citosol dos hepatócitos
  • AST-GOT (Aspartato aminotransferase ou Glutamato-Piruvato transaminase): também se encontra no músculo, cérebro, rins e eritrócitos.
  • GGT (Gamma glutamil-transpeptidase)
Outros valores relacionados diretamente com o fígado são os seguintes: LDH, Bilirrubina direta, Albumina e Valores de coagulação

Estas enzimas podem ser elevadas em várias doenças hepáticas, como a cirrose, esteatohepatose não alcoólica, hepatite infeciosa ou consumo de anabolizantes. Apesar disso, nestes casos, as TA são elevadas de um modo geral mais de 500% sobre níveis basais.

Os níveis normais de ALT e AST na maioria dos laboratórios são de 24 U/L. Para a GGT temos uma margem um pouco maior que vai até aos 80 UI/L.

Análises
Por que sobem após a prática de exercício?

As transaminases sobem nos praticantes de desporto em alguns casos (nem sempre) porque são enzimas muito solicitadas perante os diferentes processos que ocorrem no organismo como resposta ao stress físico que o exercício constitui.

Resumidamente, podemos especificar as razões em:

  • Lesões musculares

Devemos recordar que algumas transaminases também se encontram no músculo esquelético, como a GOT, pelo que as lesões musculares resultantes do exercício (em particular, do exercício de força) fará subir a sua concentração no sangue1 .

Para aqueles que não são principiantes: o músculo é composto por células (miócitos) que sofrem pequenas roturas com o treino. Estas roturas libertam parte do conteúdo que se encontra no interior dos miócitos. E parte do seu conteúdo inclui enzimas, como as transaminases, que passam para a corrente sanguínea, com que ao recolher o sangue do doente, apresenta maiores concentrações do que o «normal» destas moléculas
  • Maior catabolismo e anabolismo de proteínas (maior necessidade de transaminação por microrroturas musculares, maior turnover de proteínas não miofibrilares e maior ressíntese posterior no período anabólico)

O fígado é a maior fábrica do organismo e existe para desintoxicar de qualquer elemento desnecessário (fármacos, drogas), mas também, para facilitar a síntese de proteínas essenciais e outras estruturas.

Nesta síntese, as transaminases são muito ativas, porque como referimos, colocam e retiram grupos amino dos blocos que constituem as proteínas: os aminoácidos
  • Maior consumo de proteínas

Como aquele que alertaste, ocorre como maior frequência na população que pratica desporto, bem com os objetivos de ganho de massa muscular ou perda de gordura.

Um consumo adequado de proteínas para um praticante de desporto (entre 1 e 1,5 grs/kg de peso), no entanto, não deverá ocorrer uma subida de transaminase na maioria das pessoas

E o que é que acontece se estiver saudável, assintomático, não existirem sinais de outras patologias, mas tiveres os níveis de AST e ALT nos 70?

Portanto, provavelmente, ficaste entre a espada e a parede com um bom treino de pernas recentemente (ou melhor entre quadríceps e isquiotibial?), ou tenhas utilizado a tua BOX de CrossFit ontem.

Crossfit

Existem motivos para preocupação?

Não. Isto sim, há que deixar claro que estamos a falar de um contexto clínico SEM SINTOMAS, no qual não existem suspeitas de outras patologias que possam fazer subir os valores que abordamos nesta publicação. Infelizmente, a doença também ocorre em praticantes de desporto de todas as idades que têm cuidado.

Por isso, caso ocorra outro sintoma além destes, consulta o teu médico. Talvez com batidos de proteína e com agachamentos profundos não saiba, mas sim, de hepatite, de RAM de fármacos ou se síndromes hereditários vários

Assim, quais os níveis aceitáveis e quando é que me devo preocupar?

Por isso, ficamos com uma ideia útil: não deve aumentar mais de 200% dos valor máximo normal.

Training

Definitivamente, se os teus níveis de transaminase estiverem ligeiramente acima do limite e não sofreres de outras patologias, provavelmente será consequência do exercício realizado e/ou suplementação utilizada, não sendo valores graves

Para servir de referência, na maioria das doenças hepáticas graves, as transaminases sobem entre 500% e 1000% acima do LSN, pelo que os valores de 50-100 UI/L, que é aquele encontrado com maior frequência nos praticantes de desporto romanescos, no contexto clínico adequado, não nos devem preocupar

Creatinina

A creatinina é somente um subproduto, um metabolito da creatina, substância produzida por órgãos como o pâncreas, fígado ou rins, de forma muito constante, estruturalmente semelhante a outros aminoácidos e que limpam os rins sendo posteriormente eliminados pela urina.

A creatina é um vetor da molécula ATP, transportada no organismo para ser utilizada por parte das miofibras musculares

Creatinina

Ao contrário da creatina, que é um substrato energético muscular muito conhecido,, a creatinina não tem nenhuma função definida no organismo, sendo um produto de eliminação da própria creatina, que é muito benéfico para estimular a função renal

Porque é que os seus valores podem subir em praticantes de desporto?

  • Porque se encontram correlacionados com a massa magra

Uma pessoa com 25 anos de idade e 80 kg de massa magra terá níveis de creatinina mais elevados (geralmente fora dos limites normais) do que um idoso de 60 kg e 35 kg de massa magra.

Porquê?Muito simples: se a creatinina é gerada pela creatina e esta última se encontra nos músculos, quanto mais músculo, mais creatina e mais creatinina. Quando a sua limpeza nos rins, este será mais elevado em pessoas com maior percentagem de massa magra.

  • Suplementação com Creatina

Se tomares este conhecido suplemento, como é normal, os níveis de creatinina na urina serão mais elevados, uma vez que é o metabolito direto da creatina utilizado para um melhor desempenho na prática desportiva2.

Devo ficar preocupado?

Se o médico tiver colocado de parte outras causas de doença renal crónica e os valores estiverem somente ligeiramente acima do limite máximo normal provavelmente deve-se ao facto de ser uma pessoa com maior percentagem de massa muscular do que a média, ou tomar suplementos com creatina. Next question…

Bilirrubina

A bilirrubina é um produto do metabolismo da Hemoglobina (Hb), que é a molécula que transporta o oxigénio nos glóbulos vermelhos para que todas as células do teu organismo possam respirar.

Esta BR divide-se em direta e indireta, segundo a forma como se conjuga (transforma) no fígado, ou não.

Treino forca
Aumentos de BR no contexto de praticantes de desporto são frequentes e podem dever-se a:

  • Microtraumatismos repetidos, como aqueles que acontecem em corridas de longa distância. O mecanismo é muito simples: os microtraumas quebram os glóbulos vermelhos que libertam Hb para o sangue, que é metabolizado pela Bilirrubina, que aparece em valores elevados no sangue.
  • Treinos de força mais exigentes, pelo mesmo motivo.
  • Treinos do tipo CrossFit. The same.
  • Síndrome de Gilbert, uma síndrome muito comum em jovens nos quais ocorre uma subida de BR assintomática em períodos de stress físico ou mental, como uma gripe, um bom treino ou uma corrida popular.
Outras causas de elevação PATOLÓGICA da bilirrubina são: colescitite, pancreatite, tumores biliares e pancreáticos, síndromes hereditários raros, colangite esclerosante primária, anemia hemolítica, hepatite aguda, etc. Mas não devemos ser dramáticos, estamos a falar de pessoas saudáveis

CK

É a enzima muscular por excelência: sobe perante qualquer lesão muscular quando se encontra dentro dos miócitos. Alguns bons exemplos de causas da subida de CK são os seguintes:

  • Cirugia cardíaca: não se encontra somente no músculo esquelético, mas também cardíaco. Qualquer outra cirurgia onde tenham ocorrido lesões musculares, também será mais elevada essa enzima.
  • Estado de prostração e acamado. Ficar no chão deitado durante algum tempo (mendigos, alcoólicos, doentes com demência, em UCI, etc.)
  • Correr uma maratona ou uma meia maratona
    Maratona
  • Treino intenso de pernas. Disse intenso, espreguiçar-se uma vez não conta.
  • Rabdomiólise: quando esta subida se verifica muito acima dos limites normais, falamos em Rabdomiólise, uma condição clínica muito grave que requer internamento, reidratação urgente e monitorização da função renal.
Falou-se muito no risco de rabdomiólise em desportos de ultrafundo e no CrossFit. Se o tema for pertinente, podemos escrever sobre ele mais à frente3

Ácido úrico

O inimigo mortal número um dos adultos e idosos: o ácido úrico. O AU não é mais do que uma substância química resultante da degradação e catabolismo de moléculas denominadas de purinas (adenina e guanina), reação desencadeada pela enzima xantina oxidase.

Em quantidades elevadas e, no contexto de uma suscetibilidade genética que implique menor limpeza ou maior produção de ácido úrico, podem acumular-se em várias partes do organismo criando cristais e causando a conhecida gota.

Num doente praticante de desporto, a atividade intensa pode elevar até 20% os níveis de AU no sangue4

Desporto

O consumo de uma dieta hiperproteica muito acima do consumo recomendado em praticantes de desporto (que, repito, não vai além de 1,5-1,8gr/kg de peso) também pode contribuir para esta subida, assintomática ou não, do AU no sangue

Conclusões

  • É inevitável que de vez em quando o teu médico te informe sobre alterações de análises relacionadas com a prática de desporto. Os médicos não têm formação em atividade física e desporto, da mesma forma que precisamos de formação adequada em nutrição não clínica.
  • O que deves e é responsável fazer, antes de dar como garantido que uma leva subida de transaminases ou de CK não é patológica é colocar de parte outras entidades clínicas que possam causas estas alterações em análises. Como referi anteriormente, infelizmente a doença também afeta os praticantes de desporto.
  • Por outro lado, deves ouvir o teu médic@. Não queremos amargurar a vida a ninguém, não queremos que deixem de praticar exercício, queremos que sejam saudáveis e fortes. Aquilo que dizemos fica dito com a melhor das nossas intenções e com base no conhecimento que temos.
E para terminar, se te sentires bem, estiveres assintomático, sem sinais de outras doenças, fazes uma dieta rica em vegetais, treinas com frequência e és feliz, então, um valor de ureia, creatinina ou CK levemente acima do limite máximo normal não te deve preocupar!

Fontes

  1. Pettersson J, Hindorf U, Persson P, Bengtsson T, Malmqvist U, Werkström V, et al. Muscular exercise can cause highly pathological liver function tests in healthy men. Br J Clin Pharmacol [Internet]. 2008 Feb [cited 2018 Jan 17]; 41 (1):
  2. Kreider RB, Kalman DS, Antonio J, Ziegenfuss TN, Wildman R, Collins R, et al. International Society of Sports Nutrition position stand: safety and efficacy of creatine supplementation in exercise, sport, and medicine. J Int Soc Sports Nutr [Internet]. 2017 Dec 13 [cited 2017 Aug 21];14(1):18.
  3. Brancaccio P, Maffulli N, Limongelli FM. Creatine kinase monitoring in sport medicine. Br Med Bull [Internet]. 2007 Feb 6 [cited 2018 Jul 13];81–82(1):209–30.
  4. Kanďár R, Štramová X, Drábková P, Křenková J. A monitoring of allantoin, uric acid, and malondialdehyde levels in plasma and erythrocytes after ten minutes of running activity. Physiol Res [Internet]. 2014 [cited 2018 Jul 13];63(6):753–62.

Entradas Relacionadas

Avaliação das Análises Alteradas em Praticantes de Desporto

Causas - 100%

Análises em praticantes de desporto VS sedentários - 100%

Análise de valores - 100%

Conclusões - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Borja Bandera
Borja Bandera
Borja Bandera é um jovem médico dedicado as áreas de nutrição, exercício e metabolismo, que concilia a sua atividade clínica junto a sua vocação divulgativa e investigadora.
Confira também
Barritas dietéticas
Barritas Dietéticas – Como e onde escolher a mais adequada

Será que as Barritas dietéticas são todas iguais? As barritas dietéticas são tão populares que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *