Comentário Racista de Greg Glassman CEO de CrossFit

Comentário Racista de Greg Glassman CEO de CrossFit

O desrespeitador tweet de Greg Glassman CEO da CrossFit® que mobilizou toda a comunidade.

Atualização a 10/06/2020

Glassman sai e recolhe o testemunho de Dave Castro

Greg Glassman:

“Estou a ceder o lugar como CEO da CrossFit, Inc., e decidi sair. No sábado gerei um conflito na comunidade CrossFit e, sem qualquer tipo de intenção, magoei alguns dos seus membros.

Desde que fundei a CrossFit há 20 anos, esta converteu-se numa das maiores redes de ginásios do mundo. Todos estão empenhados em apresentar uma solução distinta para o aborrecido problema das doenças crónicas.

Criar a CrossFit e apoiar as suas filiais e legiões de treinadores profissionais foi um trabalho de amor.

Todos aqueles que me conhecem sabem que o meu único tema é a epidemia de doenças crónicas. Sei que a CrossFit é a solução para esta epidemia e que a sede da CrossFit e as suas equipas servem de administradores das filiais da CrossFit em todo o mundo.

Não posso deixar que o meu comportamento prevaleça sobre o caminho da missão da sede ou das filiais. São muito importantes para os colocar em risco.”

Dave Castro:

A CrossFit é uma comunidade – Una, global, diversa e férrea.

Qualquer pessoa na nossa comunidade partilha um vínculo em comum. Todos estamos dedicados a uma abordagem visionária e transformadora para o fitness e para a saúde. A nossa paixão individual por esta abordagem criou uma comunidade duradoura.

A nossa comunidade está ferida, severamente. Os nossos laços partilhados reúnem milhões de pessoas com opiniões, pontos de vista e experiências diferentes.

O atrito é inevitável. O espaço comum, o respeito mútuo e o companheirismo também devem ser inevitáveis. Sinto-me honrado por assumir o cargo de CEO da CrossFit, Inc.

E espero fazer o correto pelas filiais, treinadores, atletas e outros membros da comunidade da CrossFit em todo o mundo, e nunca perderei de vista a missão que o Greg nos deixou a todos nós.”

Extraído do comunicado oficial de cessão do cargo de CEO, na website oficial da CrossFit em Inglês.

De onde veio a polémica?

No dia 25 de maio de 2020, a cidade de Mineápolis sofreu um novo caso de abuso policial relativamente a um cidadão afroamericano, pondo em evidencia o racismo, a xenofobia e as agressões de ódio inter-racial que envolvem o país norte-americano desde há décadas e que ainda não foram superados.

Um oficial da polícia, alegadamente, assassinou, por asfixia, um cidadão afroamericano que não ofereceu resistência enquanto estava a ser detido.

O polícia conteve George Floyd apoiando o joelho sobre o seu pescoço durante quase 9 minutos, um ato que manteve apesar dos soluços do detido que lhe pedia para diminuir a pressão, que colaboraria, fazendo ver que não o estava a deixar respirar com a frase “I can’t breathe” um dos lemas das manifestações do movimento Black Live Matters do ano 2020.

Tudo isto num contexto de revolta social onde os espetadores pediam ao polícia para levantar o joelho porque o detido não oferecia resistência, sangrava e porque se chegou a um ponto que Floyd deixou de responder; perante a apatia dos outros 3 agentes.

Todos e cada um dos membros do quadro da HSN estão consternados com esta situação, acreditando que, mais uma vez, estes casos evidenciam um grande problema: a falta de igualdade social e o longo caminho que falta percorrer para conseguir alcançar a igualdade que todos merecemos, independentemente do sexo, raça, ideologia ou condição.

“black live matters”

O imperdoável Tweet de Glassman

Greg Glassman é o CEO da CrossFit®, uma marca bem conhecida do setor fitness que revolucionou o treino e aproximou a todos os setores da população ao treino com cargas e de alta intensidade; um serviço social com um impacto positivo inigualável sobre a saúde pública da população inativa.

Glassman já tinha sido alvo da crítica social por algumas das suas declarações anteriores que denotam a falta de empatia e sensibilidade por determinados grupos.

Como é o escândalo do “open diabetes” que criou no ano 2015, levando a crer que o consumo de açúcar (neste caso de bebidas açucaradas) era a causa inequívoca do desenvolvimento desta anomalia metabólica complexa e com uma variante de origem autoimune, a diabetes mellitus tipo 1.

Estas publicações detonaram uma série de declarações entre marcas que apresentavam interesses comerciais (inclusive o próprio CrossFit), patrocinados, associações e empresas que procuram aproximar a realidade da diabetes com a população em geral.

Open diabetes

Agora Glassman voltou a evidenciar a sua pouca sensibilidade quando, perante um comunicado no Twitter do IHME da Universidade de Washington onde se salientava o problema de saúde pública que causa o racismo e a discriminação.

Glassman respondeu a este tweet com um “It’s Floyd-19” ao fazer um comentário satírico com o nome do falecido e a pandemia do COVID-19.

It’s FLOYD-19.

— Greg Glassman (@CrossFitCEO) June 6, 2020

O tweet causou uma revolta sem precedentes

Consequências

O impacto em proprietários de ginásios

O tweet em causa foi recebido como uma clara falta de respeito pela causa e uma provocação ao movimento black live matters.

Numa questão de horas, uma grande quantidade de proprietários de estabelecimentos associados à marca CrossFit® desvincularam-se da empresa, em alguns casos publicando cartas abertas que causaram um grande impacto social como sinal de aprovação.

O impacto nas marcas

É evidente que uma (grande) parte do apoio comercial à marca CrossFit®, do sucesso, e da viabilidade dos seus eventos se deve às parcerias com empresas como a Rogue ou a Reebok.

Neste momento, parte das empresas parceiras da CrossFit® desvincularam-se da marca, como é o caso da RomWod.

View this post on Instagram

Action matters.

A post shared by ROMWOD (@romwod) on

E outros, como Rogue estão por um fio, com comunicados da marca onde declaram que o comentário é inaceitável, que uma marca ou uma comunidade não é feita por uma só pessoa, e que estão a analisar a melhor decisão que oriente o caminho a seguir.

View this post on Instagram

Rogue does not support the latest statements made by the CrossFit CEO, Greg Glassman. His comments are unacceptable under all conditions. The community is bigger than one person. The movement is stronger than one person. Noone should be expected to tolerate anything that keeps us from moving forward as one. Effective Immediately: 1.0  Rogue Invitational will remove the CrossFit Logo from the 2020 event. We will only allow discussion of sanctioning with real discussion on the future 2.0  Rogue will work with the CrossFit Games leadership to determine the best path forward. We will fulfill the 2020 season for the athletes and the community. The future is dependent on the direction and leadership within CrossFit HQ.  Rogue has been the equipment provider since 2010 and we believe it is part of our DNA.  We hope there is a path forward. We stand behind the community.

A post shared by Rogue Fitness (@roguefitness) on

Atletas

Muitos atletas manifestaram o seu desagrado para com o tweet de Glassman, muito falado foi o caso de Katrín Thorisdottir que publicou uma fotografia no seu Instagram a declarar que se encontrava “absolutamente envergonhada com a situação”:

View this post on Instagram

.

A post shared by Katrín Tanja Davíðsdóttir (@katrintanja) on

E o facto é que foi filtrado um e-mail enviado por Glassman a uma colaboradora da marca no qual pedia explicações ou apontava o comportamento inadequado do CEO, onde Glassman começa da seguinte forma:

“…sinceramente, julgo que a quarentena causou um impacto negativo sobre a tua saúde mental…”.

O que também provocou o facto de atletas como Jason Khalipa, Noah Ohlsen ou Chandler Smith se tivessem desvinculado da marca; além de muitos outros como Davidsdottir, Tia Toomey ou Mathew Fraser terem manifestado o seu desagrado para com a situação e a marca de diversas formas através das redes sociais.

View this post on Instagram

My participation in the 2020 @crossfitgames will be contingent upon major changes being made. ⁣ ⁣ I LOVE competing, I LOVE training, I LOVE being able to challenge myself and become better from it. ⁣ ⁣ I also LOVE people.⁣ ⁣ This is probably the hardest decision I’ve ever had to make. It’s been weighing on me for days. I’ve consulted many of my closest supporters. All of that said, I’ve decided that I cannot, in good conscience, compete during this time for a company that hasn’t shown themselves to have values that I align with. ⁣ ⁣ I’ve been talking a lot about this movement and my strong desire to stand up and fight for equality. Right now, I’m taking action. The repercussions of this could be huge. I’ve weighed them and my belief in this is stronger than their potential outcomes.

A post shared by Noah Ohlsen (@nohlsen) on

O pedido de desculpa

Glassman pediu desculpa através de um comunicado oficial na conta de Twitter da CrossFit, a pedir perdão pelas suas palavras e pelo prejuízo que possa ter causado.

Muita gente atribuiu este gesto ao interesse económico por detrás da ação e para evitar que outras marcas possam vir a desvincular-se da empresa, e quiseram saber porque é que a publicação não foi efetuada de forma mais pessoal por parte do próprio Glassman, sem envolver a empresa.

A aceitação geral não foi boa:

Mais tarde Glassman fez algumas declarações no seu Twitter a atribuir a má gestão do IHME que levou a população para esta situação de confinamento, e explicou que emocionalmente se sentiu ofendido com o facto de a empresa ter falado de racismo quando “falharam no controlo da quarentena”.

Uma mensagem que mais não fez senão atear as chamas do debate e fazer com que muitos utilizadores classificassem esta intervenção como “sem sentido”.

Futuro

O futuro da CrossFit® como marca foi abalado e é incerto, neste momento é tudo muito recente e não conseguimos saber qual será o resultado desta situação, embora o contexto epidémico do COVID, a incerteza e mais do que provável cancelamento dos Jogos este ano, juntamente com o descontentamento de sócios, proprietários de box e atletas…

Tudo aponta para um destino que coloca em causa a manutenção da marca, pelo menos ao nível em que estava definido atualmente no panorama mundial.

Qual é a vossa opinião sobre aquilo que aconteceu?, acham que a intervenção de Glassman é um sinal de racismo ou uma brincadeira sem importância? Acham que as desvinculações são justificadas? Se quiserem, deixem os vossos comentários.

Entradas Relacionadas

  • Entrevista ao criador da CrossFit em este link.
Análise do Comentário Racista de Greg Glassman

Polémica - 100%

Repercussões - 100%

Consequências - 100%

Futuro da CrossFit - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Alfredo Valdés
Alfredo Valdés
Especialista e treino de fisiopatologia metabólica e nos efeitos biomoleculares da alimentação e o exercício físico, com os seus artigos, vai levar-te no complexo mundo da nutrição desportiva e clínica, de forma simples e desde uma perspectiva crítica.
Confira também
gabi castro crossfit
O que está um miúdo de 15 anos a fazer CrossFit?

Quando Manuel propôs a ideia de escrever um post no blog de HSN adorei a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *