Exposição ao Frio: Beneficioso ou Perigoso

Exposição ao Frio: Beneficioso ou Perigoso

Parece que ultimamente está de moda realizar exercícios de Exposição ao Frio, más, são completamente inofensivos?

Historia da Exposição ao Frio

Na idade media as pessoas não aprendiam a nadar assim que não podiam atravessar o rio Estigio quando foram condenados a entrar no inferno .

Mesmo que Hipócrates, o Pai da Medicina falasse que terapia hídrica aliviava a preguiça e o cansaço, não foi até mais tarde quando a imersão na água passou a estar na moda.

Em 1750 livros médicos começavam a recomendar nadar no mar como tratamento de múltiplas doenças, sendo o inverno o melhor momento do ano para isso, de acordo com os que o realizaram.

Thomas Jefferson colocava os seus pés na água gelada todas as manhãs para “manter uma boa saúde”, e recentemente diferentes métodos, terapias e façanhas passaram a estar de moda, a exposição ao frio com fins desportivos, de saúde ou simplesmente, de superação pessoal.

Método Wim Hof

Um deles é o Método Wim Hof que inclui a exercícios respiratórios e exposição ao frio e conseguiu uma popularidade imensa nos últimos anos afirmando melhorar o sistema imune, patologias como a depressão ou simplesmente, melhorar a tua concentração e capacidade da superação.

gelo frio

Tudo que este relacionado com o conceito “superação pessoal” ou “optimização da saúde física e mental” tem bastante êxito e rapidamente se converte em tendência.

Mas hoje vamos falar de analisar desde o ponto de vista científico os perigos da imersão na água fria não controlada, para ter mais consciência do que nos estamos enfrentando.

A ciência pode corroborar alguns benefícios da exposição ao frio que é muito interessante de explorar em um próximo pots, sempre que seja do vosso interesse.

Perigos da Exposição ao Frio de acordo a Ciência

Só em 2012 morreram afogados 372.000 pessoas (42 por hora), sendo a terceira causa de morte não natural de acordo com os dados da OMS.

Para saber por que pode morrer uma pessoa ao expor a água fria temos que entender vários conceitos básicos:

  • Água fria: podemos definir aquela que está a <15 graus (Mike Tipton, que investiga a resposta fisiológica humana em ambientes extremos).
  • Embora, o ponto termoneutro para uma pessoa que exercita na água é de 25 graus centígrados.
Se a temperatura da água esta por debaixo desses 25 graus, o organismo esfriara  lentamente até conseguir temperaturas não compatíveis com a homeostase do organismo e, por tanto, da vida.
  • Quanto menor seja a temperatura, menos minutos necessitarás até chegar a hipotermia, e viceversa.
É precisamente a hipotermia associada a imersão na água fria o fenómeno a que se culpou a maioria de mortes relacionadas com a imersão na água, algo que impressionou a comunidade científica depois da catástrofe do Titanic em 1912.

termometro

O que acontece com o organismo ao diminuir a temperatura corporal?

  • As tremedeira começam a 36º. É um esforço inconsciente e reflexo do teu organismo por manter a temperatura corporal gerando atividade física involuntária.
  • A uns 35 graus aparecem a confusão, desorientação e ausência de busca de ajuda. Começas apagar. Aparece a apatia.
  • Aos 34 graus aparece a amnésia, começas a perder o controle do que aconteceu e do que não, é muito difícil lembrar de dados.
  • A 33 graus da génese de arritmias cardíacas é muito mais provável.
  • Se chegas até aos 30 graus, provavelmente perdes a consciência. Se tens a sorte de ter apoio sólido não afogaras, mas se estas nadando, então não a possibilidades.
  • A 28 graus a fibrilação ventricular, o tipo de arritmia mais frequente e letal, está quase garantida.
  • E finalmente, a temperatura a qual a comunidade científica estabelece o limite compatível com a vida são os 25 graus centígrados.

Más atenção, há sempre  outliers…

rescate

O ser humano resgatado com uma temperatura corporal mais baixa estava a 13 graus centígrados

Riscos do frio

Anos mais tarde, a ciência descobriu outros potenciais riscos associados a imersão na água fria que pouco tem que ver com a hipotermia:

Shock por frio

Existem termorreceptores na pele que começa a funcionar quando entras em contacto com a água fria e gera uma resposta de hiperventilação, que as vezes pode ser suprimida conscientemente, mas outras não.

Esta hiperventilação, se mantém no tempo, e gera a chamada “alcalose respiratoria”, que não é outra coisa que a elevação do ph do sangue há um ph mais básico.

Isto pode gerar contrações involuntárias dos músculos e incluso tetanias que podem facilitar o afogamento se estas nadando, por exemplo.

Arritmias letais

Se produz devido a um fenómeno curioso, um conflicto no sistema nervoso autónomo devido a activação concomitante dos seus dois componentes principais:

  • o sistema nervoso simpático, que é activado mediante os receptores cutáneos de temperatura que acabamos de mencionar; e
  • do sistema nervoso parasimpático, que se ativa devido a chamada resposta de imersão, especialmente se há um componente de mergulho ou apnéia

Esta activação de sistemas contra postos facilita enormemente a produção de disritmias e arritmias cardíacas.

Especialmente, como dizemos, se envolve uma apnéia prologada ou há fatores de pré disposição como síndrome de QT longo, doença isquémica cardíaca ou hipertrofias ventriculares patológicas.

mergulhar no gelo

Mergulhar no gelo

Parálise nervosa e incapacitação neuromuscular

A temperaturas por debaixo dos 20 graus a condução nervosa se desacelera e a amplitude do potencial de ação diminui.

Quando nos expomos a una imersão a temperaturas entre 5-15 graus por vários minutos, pode aparecer sintomatologia equivalente a uma parálise nervosa periférica, que pode acabar com o afogamento da pessoa devido a impossibilidade de manter as vias respiratórias fora de água.

Menores adaptações fisiológicas ao exercício físico, especialmente respeito a força e hipertrofia

Sim, como estas a escutar…

Cada vez aparecem mais estudos sobre e com a mesma conclusão.

Parece que a típica imersão na água gelada ou banhos de gelo que os atletas  tomam para recuperar de um esforço físico importante é uma arma de dois gumes:

  • Por um lado, aparece melhorar a dor muscular e diminuir a inflamação;
  • Mas por outro interfere com as adaptações moleculares ao exercício físico, especialmente com a especialmente com a sinalização anabólica que leva à hipertrofia muscular.

Um grande abraço, nos vemos no seguinte post e a seguir empoderando!

Fontes Bibliográficas

  1. Stocks JM, Taylor NAS, Tipton MJ, Greenleaf JE. Human Physiological Responses to Cold Exposure. Aviation Space and Environmental Medicine. 2004.
  2. Tipton MJ, Collier N, Massey H, Corbett J, Harper M. Cold water immersion: kill or cure? Exp Physiol. 2017;
  3. Cochrane DJ. Alternating hot and cold water immersion for athlete recovery: A review. Physical Therapy in Sport. 2004.

Entradas Relacionadas

  • Já escutaste sobre Estado de Fluxo? Continua a ler....
  • Recomendações para Treinar com Frio.
  • “Ativa a gordura parda para queimar mais gordura”. Se não sabes do que estamos falando, tal vez te interesse visitar este link.
Avaliação da Exposição ao Frio

Historia - 100%

Definição de conceitos - 100%

Perigos do frio - 100%

Evidência científica - 99%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Confira também
d manose
D-manose e sua ajuda para curar com rapidez as infeções do sistema urinário

D-manose é una alternativa natural para tratar as infeções do sistema urinário. Em pouco tempo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *