Mucuna Pruriens – Aumento de Testosterona e da Fertilidade

Mucuna Pruriens – Aumento de Testosterona e da Fertilidade

A Mucuna Pruriens está associada melhorar a fertilidade masculina (aumento da testosterona e os seus precursores) e reduzir sintomatológica do Parkinson

O que é a Mucuna Pruriens?

A Mucuna Pruriens conhecida também como Feijão-da-flórida é uma planta leguminosa que cresce em climas tropicais

Esta planta se utiliza para a fabricação dos suplementos alimentares, e a pesar de que estes produtos se comercializa de forma generalizada como “Mucuna Pruriens”, realmente o produto é um extrato de sementes desta planta que são as que possui as propriedades ativas que podemos perseguir com o consumo desta substância.

Mucuna Pruriens Propriedades

As sementes de Mucuna Pruriens foram utilizadas tradicionalmente como afrodisíaco e revigorizante

Isto deve-se a que as sementes possui uma forte quantidade de L-Dopa, aminoácido precursor do neurotransmissor Dopamina, que cumpre uma variedade de funções fisiológicas (controle do sono, humor, cognição, sistema de recompensa e adição, catecolaminérgese, produção do leite…).

mucuna-pruriens

Pelo que o extrato de Mucuna Pruriens é um potente dopaminérgico, ou seja, uma substância que se utiliza para aumentar as concentrações de dopamina

Não todos os efeitos positivos da Mucuna são dependentes do sistema dopaminérgico, más sim a maioria deles

Para que serve a Mucuna Pruriens?

É atribuído a Mucuna uma grande variedade de efeitos fisiológicos em modelos humanos e animais, neste artigo vamos falar dos dois principais efeitos que esta substância possui:

  • Aumento da fertilidade (aumento da testosterona e os seus precursores)
  • Redução sintomatológica do Parkinson
São os que mostram uma evidencia mais forte em humanos e, que tanto a sua magnitude como a consistência dos resultados são suficientemente sólidos, como para concluir que realmente funciona

Mucuna Pruriens e Fertilidade Masculina

A Mucuna Pruriens foi utilizada extensamente para o aumento da fertilidade masculina

Este composto parece melhorar a fertilidade a través do aumento do volume seminal ejaculado; densidade de espermatozóides (espermatogénesis); e melhora a motibilidade dos mesmos.

Ou seja, é um produto útil para o tratamento das 3 principais condições que geram infertilidade masculina:

  1. Hipoespermia (pouco volume do sémen),
  2. Oligozoospermia (baixa contagem de espermatozóides no sémen ejaculado, de forma absoluta ou relativa),
  3. Astenozoospermia (hipomovilidade dos espermatozóides presentes no sémen ejaculado; independentemente da quantidade).

Estudo 1

Shukla et al. (2009) mostraram que a administração diária de 5g de extrato de sementes de mucuna pruriens sem conteúdo estandardizado em levodopa durante 3 meses melhorou o tempo de liquefação.

Obtendo uma melhoria do tempo de liquefação, o volume do sémen ejaculado, o % de motibilidade dos espermatozóides e a concentração dos mesmos, não só em sujeitos Oligozoospermicos e Astenozoopérmicos más também Normozoospérmicos.

mucuna fertilidade

Ou seja, em indivíduos sem alterações seminais, e isto é especialmente interessante

Se és uma pessoa que procura melhorar sua fertilidade, 5g/dia de extrato de Mucuna Pruriens pode ser suficiente para conseguir, independentemente da tua condição seminal

Estudo 2

Um estudo posterior de Gupta et al. (2011), no qual participaram parte dos nossos investigadores mencionados anteriormente, utilizou de novo o mesmo protocolo (5g/dia de Mucuna) em sujeitos normozoospérmicos, oligozoospérmicos e astenozoospérmicos.

Conseguindo as mesmas conclusões, que a Mucuna melhora a fertilidade dos indivíduos que pertencem a todos os grupos, pero neste caso também mediram a lipoperoxidação do sémen

A peroxidação lipídica, por não fazer excessivamente denso o artigo, o processo seria mediante o qual as EROs e ERHs produzem um dano na membrana das células), e a pesar de que “uma peroxidação leve pode promover a capacitação e a activação do espermatozóide” (Membrillo et al., 2003)

A peroxidação excessiva resulta em dano espermático (Gadella et al. 2001, citado em Membrillo et al., 2003). Pelo que a redução na perioxidação dos espermatozóides, melhora a funcionalidade destes, e por tanto, a fertilidade.

Conclusões

No estudo também foram analisadas as concentrações de diferentes aminoácidos no sémen dos sujeitos a través de espectroscopia de ressonância magnética nuclear.

Os investigadores concluíram que administração oral de 5g diários de Mucuna Pruriens melhora significativamente o perfil metabólico (de metabolitos) dos aminoácidos presentes no plasma seminal.

Não se conhece com precisão o rol que exercer cada aminoácido sobre a fertilidade, e a etiología da sua concentração (eu- o dis-) é muito variada, simplesmente vamos esclarecer que um correto equilibro no espectro dos metabolitos de diferentes aminoácidos no sémen determina em certo grau a fertilidade masculina.

Isto mostra que a Mucuna Pruriens é uma substância útil para melhorar a fertilidade dos indivíduos masculinos

Mucuna Pruriens e Testosterona

Ademais concluíram os investigadores, que esta substância melhora a fertilidade masculina a traves de várias vias que condicionam. Uma destas vias, que ainda não explicamos neste artigo, e certeza que muitos leitores interessa é o balance hormonal.

Tenho certeza que muitos estão pensado: “Más a Mucuna Pruriens, como melhora a fertilidade, aumenta a testosterona?” Pois SIM

Como aumenta a Testosterona?

A Mucuna Pruriens melhora o entorno hormonal dependente do HPTA:

  • Aumenta LH (hormona luteinizante) e T (Testosterona)
  • Diminui FSH (hormona folículo estimulante) e PRL (prolactina)

Estes resultados se repetem em ambos estudos de forma consistente e com uma magnitude de aumento muito interessante nos indivíduos de todos os grupos (representado na tabela posterior).

GRUPO
MARCADOROligozoospermiaNormozoospermiaAstenozoospermia
T+39%+27%+17%
LH+41%+23%+40%

Tabela I. Variações na concentração de Testosterona (T)Hormona Luteinizante (LH) em diferentes grupos após a administração  de 5g/dia de Mucuna Pruriens durante 3 meses. Modificado de Shukla et al. (2009)

As reduções em FSH e PRL não foram calculadas em % no estudo, más as reduções pré- e pós- tratamento foram significativas em todos os grupos

Explicação do mecanismo de ação

O mecanismo de ação pelo qual a Mucuna parece melhorar o entorno hormonal é devido a presença de L-Dopa nas suas sementes, a qual contém metabolitos activos de catecolaminas (epinefrina, norepinefrina e dopamina):

  • A L-Dopa cruza a BBB (Brain Blood Barrier) e aumenta as concentrações de dopamina no cérebro, isto bloqueia a produção de PRL no lóbulo anterior da glândula pituitaria;
  • O seu consequente bloqueia estimula a produção de GnRH no hipotálamo;
  • A GnRH é a gonadotropina que encontra-se a cascada em cima (sinalizado estimulante) da produção de LH na glândula pituitaria;
  • Ao mesmo tempo, a LH viaja até as gónadas (testículos), onde se une aos receptores das células de Leydig aumentando a produção de cAMP a partir de ATP o que estimula a esterogénese (Testosterona).

Melhora a homeostase hormonal

Certeza que já ouviste falar disto: há fármacos que aumentam as concentrações de testosterona sérica de forma significativa produzindo uma inibição em na la produção de LH por retroalimentação negativa, verdade?.

Pois a Mucuna Pruriens é um suplemento muito interessante para recuperar o estado normal (homeostase hormonal) dos indivíduos que usaram estes fármacos, depois de finalizar o seu uso.

figura mucina

Figura I. Variações nas concentrações séricas de LH, FSH, T e PRL pré-treino e pós-treino dos indivíduos inférteis aos grupos normozoospérmicos, oligozoospérmicos e astenozoospérmicos em relação ao grupo controle. (Gupta et al., 2011)

De igual modo, a administração oral de 0.5g. de L-Dopa parece aumentar significativamente as concentrações da hormona de crescimento em indivíduos saudáveis, de acordo com os recolhidos por Chiara et al. (1986).

Embora, devido a quantidade de Mucuna Pruriens que seria requerida para o consumo desta quantidade de L-Dopa, faz que a suplementação com esta substância para este fim seja pouco interessante ou ao menos deveria que adicionar uma dose extra

Mucuna Pruriens e Parkinson

O último efeito da Mucuna Pruriens que desperta interesse o seu potencial para o tratamento do Parkinson

Esta doença neurodegenerativa progressiva que caracteriza-se pela destruição das neuronas  presinápticas localizadas na substância preta, e que por tanto reduz significativamente a síntese de dopamina.

O tratamento paliativo mais utilizado para diminuir os sintomas desta doença é a Levodopa e a Carbidopa, usualmente em conjunto. Embora, a Mucuna Pruriens parece poder ser uma substância mais efetiva que o tratamento tradicional com Levodopa e Carbidopa aumentando as concentrações plasmáticas de dopamina; fazendo que a concentração se alcance antes e está seja maior.

figura 2

Figura II. Concentração no plasma (eixo Y) em tempo (eixo X) depois de ingerir 200mg. De Levodopa+50mg de carbidopa (rombo), 15g. de pó de semente de Mucuna Pruriens (quadrado) e 30g. de pó de semente de Mucuna Pruriens (triângulo). (Katzenschlager et al., 2004)

Estudo

Katzenschlager et al. (2004) mostraram que a administrar 15g. (500mg. De L-Dopa) e 30g. (1000mg. De L-Dopa) de Mucuna Pruriens era superior a administrada de 200mg de Levodopa + 50mg de Carbidopa

Em concreto, a administração de 30g. de Mucuna Pruriens resultou em um pico de concentração um 110% superior a administração de levodopa+carbidopa; com uma área baixa da curva 165.3% maior e uma duração média de 37 minutos (21.9%) mais longa que o tratamento  tradicional.

Embora, a pesar da boa resposta os indivíduos, em ausência de toxicidade ou efeitos adversos reportados no estudo, a dose de Mucuna Pruriens administrada é altíssima.

Antes de utilizar a Mucuna Pruriens nestas dosificações consulta o teu neurólogo, já que este artigo não constitui nem substitui nenhum recomendação médica e Alfredo Valdés não assume a responsabilidade da utilização da informação académica apresentada

Dose máxima tolerável

A AECOSAN, publicou um comunicado sobre a Mucuna Pruriens onde concluiu que a dose limite (avaluada em modelos de animais) era de 70mg/kg/dia; e esta dose máxima tolerável tornava-se tóxica pelos efeitos neurotóxicos da L-Dopa.

A dose tóxica mais baixa publicada para a L-Dopa oral em humanos é de 4286mg/kg; embora, como a Mucuna Pruriens não somente contém esta substância, os dados devem ser interpretados com cautela.

A pesar disso, não recomenda exceder a dose diária recomendada em nenhum caso, a menos que seja baixo supervisão médica e pauta do mesmo; embora o composto possui reportes de fontes de margem de segurança incluso a dose de 30g. sem efeitos adversos (AECOSAN, 2016)

Fontes Bibliográficas

  1. Membrillo Ortega, A., Córdova-Izquierdo, A., José Hicks Gómez, J., Olivares-Corichi, I., Manuel Martínez Torres, V., & de Jesús Valencia Méndez, J. (2003). Peroxidación lipídica y antioxidantes en la preservación de semen: Una revisión. Interciencia, 28, 699–704.
  2. Chihara, K., Kashio, Y., Kita, T., Okimura, Y., Kaji, H., Abe, H., & Fujita, T. (1986). L-dopa stimulates release of hypothalamic growth hormone-releasing hormone in humans. The Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, 62(3), 466–473.
  3. Katzenschlager, R., Evans, A., Manson, A., Patsalos, P. N., Ratnaraj, N., Watt, H., … Lees, A. J. (2004). Mucuna pruriens in Parkinson’s disease: a double blind clinical and pharmacological study. Journal of Neurology, Neurosurgery, and Psychiatry, 75(12), 1672–1677.
  4. Shukla, K. K., Mahdi, A. A., Ahmad, M. K., Shankhwar, S. N., Rajender, S., & Jaiswar, S. P. (2009). Mucuna pruriens improves male fertility by its action on the hypothalamus-pituitary-gonadal axis. Fertility and Sterility, 92(6), 1934–1940.
  5. Gupta, A., Mahdi, A. A., Ahmad, M. K., Shukla, K. K., Bansal, N., Jaiswer, S. P., & Shankhwar, S. N. (2011). A proton NMR study of the effect of Mucuna pruriens on seminal plasma metabolites of infertile males. Journal of Pharmaceutical and Biomedical Analysis, 55(5), 1060–1066.
  6. Santacruz, J. A., Sinovas, M. H., Carras-, M. I., Lorenzo, S. M., Valle, M. Y., Herrera, A. D. M., … Carrasco, M. I. (n.d.). Informe del Comité Científico de la Agencia Española de Consumo , Seguridad Alimentaria y Nutrición ( AECOSAN ) sobre el riesgo del uso de semillas de Mucuna pruriens en productos de artesanía.

Entradas Relacionadas

Avaliação Mucuna Pruriens

Melhora a fertilidade masculina - 100%

Aumento da testosterona - 100%

Redução sintomas do Parkinson - 98%

Suplemento - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Alfredo Valdés
Alfredo Valdés
Especialista e treino de fisiopatologia metabólica e nos efeitos biomoleculares da alimentação e o exercício físico, com os seus artigos, vai levar-te no complexo mundo da nutrição desportiva e clínica, de forma simples e desde uma perspectiva crítica.
Confira também
aumemtar testo
Top 10 Alimentos para aumentar a testosterona

Índice1. O que é a Testosterona?2. Quais são as funções principais da Testosterona?3. Onde se …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *