Multivitamínicos Especial Mulheres

Multivitamínicos Especial Mulheres

Hoje vamos falar dos Multivitamínicos Especial Mulheres,  quais são as suas características especiais ? Por que existe um suplemento específico para elas?

Por que utilizar um multivitamínico específico

No mercado actual encontramos uma grande quantidade de complexos de  vitaminas e minerais com diferentes formulações, destinados a diferentes populações.

No geral um multivitamínico-multimineral é um produto formulado com altas quantidades de nutrientes não energéticos que contribuem para o mantimento do funcionamento normal do organismo.

Estes produtos se desenvolve pensando nas necessidades gerais da população, como tal como são recolhidos nas organizações da saúde internacional que estabelecem as quantidades diárias de ingesta recomendada para população.

tabela micronutrientes

Figura I. Valores de referência de nutrientes para adultos.

Recomendações europeias

Na Europa podemos encontrar os valores de referência de nutrientes (VRNs) no regulamento 1169/2011 da CE, que estabelece as quantidades de vitaminas, minerais e alguns elementos requeridos para manter um status de vitaminas e minerais adequado.

Recomendações para a mulher

Embora, sabemos que, a pesar de que as VRNs cobrem as necessidades de da maior parte da população, em certos casos não são suficientes.

Por exemplo, uma mulher na idade fértil deve manter uma ingesta de ferro superior ao estabelecido nos valores de referência.

Já que a pesar de que as perdas de sangue pela menstruação se compensam com uma maior absorção intestinal do ferro (Ganz, Nemeth, 2012) o facto de que as mulheres perda o dobro do ferro que os homens, o que faz que exista o triplo de casos com deficiência de ferro neste sexo. (Clénin, 2017).

A anemia é frequente na mulheres

A deficiência do ferro crónica provoca o desenvolvimento de hipocromía e microcitose eritrocitaria, e em última instância a anemia ferropénica.

Esta condição patológica muito frequente em mulheres que menstruam o que estão grávidas, se resolve facilmente com o aumentando da ingesta dietética de ferro (McDonagh et al., 2015).

diagrama 2

Figura II. Diagrama de bosque que reflexa RR entre o uso ou não uso de suplementação com ferro. Para a esquerda é que é o melhor para o grupo que consumiu o ferro em forma de suplemento.

Um homem que não presenta ferropenia não deveria utilizar quantidades tão altas de ferro, já que o risco do acumulo no fígado e desenvolvido de  hemocromatose é muito maior que em mulheres.

saturação ferro

Figura III. % de saturação do ferro em diferentes situações patológicas.

Que isto nos sirva de exemplo de que :

Certa ingestas de nutrientes devem ser individualizadas em função do cenário que apresenta em um determinado frupo de população; neste caso, mulheres.

Multivitamínico para Mulheres: Ultimate Women’s Multi

Na HSN somos conscientes da necessidade de adaptar as formulações dos multivitamínicos as necessidades das mulheres, por isso desenvolvemos um produto mais específico para este grupo que o nosso clássico Evovits.

Ultimate Women’s Multi nasce de uma realização de um rigoroso screening de uma investigação científica que revisa o papel de diferentes nutrientes sobre o mantimento da saúde da mulher.

ultimate women multi

Figura IV. Ultimate Women’s Multi.

Desenvolvimento do produto

Especificamente formulado para cobrir as necessidades essenciais de micronutrientes de uma desportista ou uma mulher que procura cuidar da saúde e optimizar a sua nutrição.

Entre os seus compostos podemos encontrar:

  • Tudo o espectro completo de vitaminas hidrossolúveis (vitaminas do grupo B e vitamina C).
  • As 4 vitaminas liposolúveis (A, D, E y K).
  • Minerais como o Zinco.
  • Oligoelementos (como o cobre ou o selénio)
  • Extratos de ervas </como o estrato de aloe vera ou o extrato de arando vermelho)
  • Outros nutrientes como a Luteína e a Coenzima Q10.

De todos eles:

  • Uma parte atua como um suporte base de nutrientes que qualquer pessoa necessita ter em contra as ingestas diárias recomendadas para evitar sofrer deficiências nutricionais.
  • Outra parte é específica as mulheres, e dentro desta podemos destacar no papel do ácido fólico.

mulher vitaminico

Ácido fólico

O folato é a vitamina B9, que se comercializa em forma de suplemento como ácido fólico pois é estável e no organismo se reduz sem  limitações a forma activa de folato.

O folato é um cofactor importante em diversos processos metabólicos.

Por exemplo: esta vitamina se reduz duas vezes até converter em tetrahidrofolato; um catalisador da síntese de purinas e ácidos nucleicos que é essencial para a eritropoyesis.

Quando há uma deficiência de folato a síntese de ADN é menor; isto se interfere no processo de divisão celular, e faz que os eritrocitos (glóbulos vermelhos) se sintetizem com uma grande volume corpuscular médio e podem produzir um aumento da produção de megaloblastos; o que se conhece como anemia megaloblástica.

Deficiência de folato em mulheres

Existe uma grande prevalecia de mulheres que sofrem deficiências de folato a partir da puberdade, e estas deficiencias em período da concepção são muito perigosas para o desenvolvimento do feto.

Durante o desenvolvimento embrionário, se consume uma grande quantidade de folato, fazendo que as necessidades de consumo desta vitamina aumentam exponencialmente.

As deficiências de folato durante a gravidez conduzem a malformações no tubo neural do feto, algumas delas são incompatíveis com a vida (como a anencefalia) e este problema se resolve simplesmente aumentado a ingesta desta vitamina.

Por isso os médicos recomendam as mulheres grávidas suplementar com ácido fólico um mês antes da fecundação e até 3 meses depois do parto.

A suplementação com ácido fólico durante a gravidez é efectiva reduzindo a prevalência do desenvolvimento de defeitos do tubo neural em quase um 75% (RR 0.28).

diagrama bosque folato

Figura V. Diagrama de bosque que reflexa RR entre o uso ou não uso da suplementação com folato sobre o desenvolvimento dos defeitos no tubo neutral do feto. Para a esquerda é que é o melhora para o grupo que consumiu ácido fólico.

Cobre

O cobre é um oligoelemento, ou elemento que cumpre importantes funções no metabolismo como integrante de diversas enzimas (que são as responsáveis de muitas reações que produz o nosso sistema metabólico)

Intervém no:

  • Oxidação de aminas;
  • Síntese de neurotransmissores;
  • Formação das ligações cruzadas de colagénio.

Uma das suas funções mais interessantes é a integração da ceruloplasmina, uma proteína que encarrega de oxidar o ferro ferroso (FE2+) a ferro férrico (FE3+) fazendo biodisponivel e permitindo o seu transporte pela trasferrina (proteína que transporta o ferro pelo sangue) e que somente é relacionado ao mineral no estado FE3+.

Uma deficiência de cobre pode contribuir ao desenvolvimento de hipocromía eritrocitaria e anemia.

mulher desportista

Inositol

O inositol é um poliol que demonstrou ser efectivo diminuendo os signos clínicos do síndrome de ovários poliquísticos.

Este é um quadro pseudopatológico muito prevalecente em mulheres a partir da adolescência por uma desregulação na produção de andrógenos consequência de uma alta resistência periférica a insulina e aumento da sua produção.

fisiopatologia

 

Figura VI. Representação básica da fisiopatologia endocrina da síndrome de ovários poliquísticos.

Aqui tens uma leitura muito interessante sobre o potencial do Inositol para tratar o SOP (Síndrome de Ovário Poliquístico).

Inositol e síndrome de ovários poliquísticos

O síndrome de ovários poliquísticos produz alterações endocrinometabólicas como:

  • O hirsutismo: aumento da produção do cabelo corporal.
  • A oligomenorrea: alterações menstruais até a completa perda do período, amenorrea.
Se controla em grande parte através da dieta, o exercício físico e o controle do peso corportal.

Más o inositol também contribui directamente ao equilibro hormonal promovendo a captação da glicose celular sem necessidade de aumentar a produção de insulina, diminuindo por tanto a exposição do IRS-1 ligando e atenuando toda a cascada que podeis ver na imagem anterior.

myo inositol

Figura VII. Representação gráfica do mecanismo a través do qual o myo-inositol melhora a sensibilidade a insulina.

Luteína e Licopeno

A luteína e o licopeno são carotenoides, como o beta-caroteno que se utiliza como precursor da forma activa da vitamina A no organismo.

Estes carotenoides não tem actividade “pro-vitamina A”, embora por si mesmos exercem efeitos beneficiosos no organismo como antioxidantes.

Entre todas as suas funções a proteção ocular é a mais destacavel, pois por exemplo, a luteína se acumula na mácula do olho (Ahmed et al., 2005).

Atúa como filtro de certas longitude de onda da luz, similares a luz azul que emitem os aparelhos electrónicos, pelo que ambos compostos são importantes protectores oculares e demonstraram atenuar o desenvolvimento de maculopatías degenerativas associadas a idade.

luz azul

Figura VIII. Exposição a luz azul pelo o uso de um dispositivo electrónico.

Ferro

O ferro é o metal de transição que o organismo actua como um mineral essencial que forma parte de numerosas proteínas como a hemoglobina e a mioglobina, a ribonucleótido-reductada, o CYP450, ou os complexos de cadeia respiratória mitocondrial.

O ferro é necessário para poder obter energia a partir da oxidação de nutrientes.

Embora a sua função mais conhecida , é talvez o mais relevante no seu papel integrando as proteínas globulares dos eritrocitos e o músculo esquelético e cardíaco (hemoglobina e mioglobina, respectivamente).

Ferro e anemia

O ferro é essencial para poder manter umas concentrações saudáveis de globinas:

  • Permitindo de tal forma o transporte e a retenção do oxigénio nos tecidos;
  • Mantendo uma densidade adequada dos glóbulos vermelhos (cromía);
Evitando sofrer sintomas muito típicas em mulheres desportivas como a fatiga, a apatia, a anorexia e a falta de capacidade de tolerar esforços por baixa afinidade da hemoglobina ao oxigénio.

hemoglobina sangue

Figura IX. Vissão simplificada do processo saturação do oxigénio da hemoglobina.

Bagas de Açai e Extraco de Mangostán

O açai e o mangostán plantas muito ricas em nutrientes, especialmente compostos por polifenólicos como as antocianinas e as procianidinas.

Estes pigmentos apresentam um grande ORAC, que é a designação da capacidade de captar espécies reactivas de oxigénio (o que conhecemos como radicais livres) cuja super produção está associada ao desenvolvimento de doenças degenerativas, alterações hemodinámicas, transtornos metabólicos e outras condiciones de saúde negativas.

antocianinas

Figura X. Diagrama simplificado que reflexa os mecanismos protectores das antocianinas frente a apoptose (morte espontânea das células).

Extrato de Arando Vermelho

O extracto de arando vermelho é um fruto com uma alta densidade de proantocianidinas tipo A e outros polifenois que demonstraram in vitro e ex vivo interferir com a adessão de baterias as células epiteliais do aparelho urinário.

Por isso o  extrato de arando vermelho foi investigado pela sua ação antibacteriana frente a Escherichia coli resistente a diferentes terapias farmacológicas.

As mulheres pela a disposição anatómica do seu sistema urinário tem até 50 vezes mais risco de que os homens de padecer infecções do aparelho urinário (Silverman et al., 2013).

O extrato de arando vermelho pelo seu conteúdo em fitonutrientes demonstraram resultar efectivo como remédio profiláctico em mulheres, especialmente aquelas com mais predisposição para desenvolver estas infecções, para prevenir a colonização bacteriana do aparelho urinário.

meta analise

Figura XI. Tabela que refexa resultados de 2 meta-análise sobre o risco relativo de desenvolver infecções do aparelho urinário com o uso de sumo de romã. RR<1 é bom.

Diminuindo desta forma a quantidade de sujeitos que sofrem este tipo de infecções frente ao grupo que não consumia extrato.

treino mulher

Extrato de Romã

O extrato de romã contém uma grande quantidade de flavonoides (elagitaninos, galotaninos e ácido elágico).

Estes flavonoides actuam como antioxidantes no organismo.

Uma da ssuas principais funções é a inibição da enzima convertidora de angiotensina; uma proteína que encontra-se dentro de um sistema de regulação do organismo conhecido como RAAS e cuja expressão aumenta a retenção da água no organismo.

Diminuir a actividade desta enzima graças ao uso do extrato de granada foi proposto como um mecanismo preventivo do desenvolvimento de doenças cardiovasculares, reduzindo a pressão sanguínea e melhorando a funcionalidade cardíaca.

Além de contribuir a diurese e a eliminação da água, prevenindo aparição de edema que pode dar uma imagem estética de “retenção de líquidos”.

sumo romã

Figura XII. Diminuição da expressão da ECA em modelos in vivo após 2 semanas de uso de sumo de romã.

Referências Bibliográficas

  1. Parlamento europeo, & Consejo de la unión europea. (2011). REGLAMENTO (UE) No 1169/2011 DEL PARLAMENTO EUROPEO Y DEL CONSEJO de 25 de octubre de 2011 sobre la información alimentaria facilitada al consumidor y por el que se modifican los Reglamentos (CE) no 1924/2006 y (CE) no 1925/2006 del Parlamento Europeo y del Consejo, y por el que se derogan la Directiva 87/250/CEE de la Comisión, la Directiva 90/496/CEE del Consejo, la Directiva 1999/10/CE de la Comisión, la Directiva 2000/13/CE del Parlamento Europeo y del Consejo, las Directivas 2002/67/CE, y 2008/5/CE de la Comisión, y el Reglamento (CE) no 608/2004 de la Comisión (L 304/18).
  2. González-Hernández, 2010. Principios de Bioquímica clínica y patología molecular. 1ed Editorial Elsevier
  3. McDonagh, M., Cantor, A., Bougatsos, C., Dana, T., & Blazina, I. (2015). Routine Iron Supplementation and Screening for Iron Deficiency Anemia in Pregnant Women: A Systematic Review to Update the U.S. Preventive Services Task Force Recommendation. Agency for Healthcare Research and Quality (US).
  4. Panche, A. N., Diwan, A. D., & Chandra, S. R. (2016). Flavonoids: An overview. Journal of Nutritional Science, 5, e47.
  5. Clénin, G. E. (2017). The treatment of iron deficiency without anaemia (in otherwise healthy persons). Swiss Medical Weekly, 147(2324), w14434–w14434.
  6. Blumberg, J. B., Camesano, T. A., Cassidy, A., Kris-Etherton, P., Howell, A., Manach, C., … Vita, J. A. (2013). Cranberries and Their Bioactive Constituents in Human Health. Advances in Nutrition, 4(6), 618–632.
  7. Ganz, T., & Nemeth, E. (2012). Iron metabolism: Interactions with normal and disordered erythropoiesis. Cold Spring Harbor Perspectives in Medicine, 2(5), a011668.
  8. Ahmed, S. S., Lott, M. N., & Marcus, D. M. (2005). The macular xanthophylls. Survey of Ophthalmology, 50(2), 183–193.
  9. Laganà, A. S., Garzon, S., Casarin, J., Franchi, M., & Ghezzi, F. (2018). Inositol in Polycystic Ovary Syndrome: Restoring Fertility through a Pathophysiology-Based Approach. Trends in Endocrinology and Metabolism, 29(11), 768–780.
  10. De-Regil, L. M., Fernández-Gaxiola, A. C., Dowswell, T., & Peña-Rosas, J. P. (2010). Effects and safety of periconceptional folate supplementation for preventing birth defects. Cochrane Database of Systematic Reviews, (10), CD007950.
  11. Liska, D. J., Kern, H. J., & Maki, K. C. (2016). Cranberries and Urinary Tract Infections: How Can the Same Evidence Lead to Conflicting Advice? Advances in Nutrition, 7(3), 498–506.
  12. Aviram, M., & Dornfeld, L. (2001). Pomegranate juice consumption inhibits serum angiotensin converting enzyme activity and reduces systolic blood pressure. Atherosclerosis, 158(1), 195–198.
  13. Shema-Didi, L., Kristal, B., Sela, S., Geron, R., & Ore, L. (2014). Does Pomegranate intake attenuate cardiovascular risk factors in hemodialysis patients? Nutrition Journal, 13(1), 18.
  14. Liska, D. J., Kern, H. J., & Maki, K. C. (2016). Cranberries and Urinary Tract Infections: How Can the Same Evidence Lead to Conflicting Advice? Advances in Nutrition, 7(3), 498–506.

Entradas Relacionadas

Avaliação Multivitamínicos Especial Mulheres

Por que específico - 99%

Benefícos - 100%

Composição - 100%

Recomendações - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Alfredo Valdés
Alfredo Valdés
Especialista e treino de fisiopatologia metabólica e nos efeitos biomoleculares da alimentação e o exercício físico, com os seus artigos, vai levar-te no complexo mundo da nutrição desportiva e clínica, de forma simples e desde uma perspectiva crítica.
Confira também
Multivitáminicos Especial Homens
Multivitamínicos Especial para Homens

Neste artigo vamos falar dos Multivitamínicos Especial para Homens:  quais sãos as suas propriedades ? …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *