Vitamina D3 e K2: Melhor Juntas que Separadas

Vitamina D3 e K2: Melhor Juntas que Separadas

Vamos explicar a relação que existe entre a Vitamina D3 e K2 e por que é uma boa recomendação consumi-las em conjunto.

Porquê combinar a Vitamina D3 e K2?

Para compreender a atividade sinérgica realizada por estas duas vitaminas e porque é que digo que funcionam melhor juntas, é importante fazer uma breve explicação sobre a influência da vitamina D3 sobre o metabolismo do cálcio.

Para melhor compreensão, recomendo-te que consultes este artigo sobre Papel do Cálcio e da Vitamina D na Saúde Óssea.

Vitamina D3: o que é e como funciona?

A vitamina D3 é uma vitamina lipossolúvel, que se encontra na natureza sob a forma de colecalciferol (D3) principalmente no peixe gordo, juntamente com quantidades pequenas-moderadas em laticínios gordos, determinados enchidos de tripa animal e gemas de ovo.

Existe outra forma, o ergocalciferol (D2), sintético e geralmente utilizada no fortalecimento de alimentos.

E, a principal fonte de vitamina D do nosso organismo: a exposição solar, que transforma o 7-DHC da nossa pele em vitamina D3 e posteriormente, através de dois hidroxilações, na sua forma ativa, a 1,25(OH)2D.

Cinética da vitamina D

Cinética da vitamina D no organismo.

A vitamina D desempenha várias funções no nosso organismo, desde a manutenção de um funcionamento adequado do sistema imunitário até ao funcionamento do tecido musculosquelético.

No entanto, o seu papel protagonista na obra-prima que é o nosso organismo, é o efeito que possui sobre a regulação do metabolismo do cálcio e a manutenção da mineralização correta dos nossos ossos.

Regulação do cálcio

Mecanismo simplificado de regulação do cálcio no organismo.

A síntese do metabólito ativo da vitamina D3 aumenta quando as concentrações de cálcio do nosso organismo diminuem, neste momento a paratiroide (uma glândula que se encontra por detrás da tiróide) é ativada através da segregação da paratirina (PTH), que estimula a hidroxilação de 25-OH-D3 nos rins permitindo que a vitamina D desempenhe as suas funções sobre o cálcio, que passam por aumentar:

  • Absorção de cálcio no intestino.
  • Reabsorção de cálcio no glomérulo renal.
  • Reabsorção de cálcio do osso.

Tudo isto faz com que as concentrações de cálcio do sangue aumentem para corrigir estes níveis baixos que tinham sido detetados; o aumento do cálcio no sangue, em condições adequadas, aumenta a densidade mineral do osso.

Esta é a razão pela qual muitos suplementos alimentares e fármacos são formulados com combinações de sais de cálcio e vitamina D3, para melhorar a absorção intestinal do mineral, diminuir a reabsorção de cálcio e contribuir para a sua fixação ao osso.

Que papel desempenha a Vitamina K em tudo isto?

O que é a vitamina K

A vitamina K é uma vitamina lipossolúvel que geralmente se encontra na natureza em duas formas:

  • K1 ou filoquinona: Principalmente em vegetais de folha verde.
  • K2 ou menaquinona: Principalmente em laticínios gordos e alimentos fermentados.

A vitamina K desempenha várias funções no organismo, todas elas dependentes da ativação das denominadas VKDP (Proteínas Dependentes de Vitamina K) que se apresentam numa grande variedade de tecidos e desempenham funções relacionadas com a calcificação, a diferenciação celular e a coagulação.

Inibição da vitamina K

Efeitos da inibição da vitamina K no organismo.

Os efeitos da ativação da vitamina K sobre as proteínas que regulam a calcificação do osso, da cartilagem e do sistema cardiovascular são as que nos interessam para este tema.

Vamos ficar pelas duas proteínas principais: A Osteocalcina (OC) e a Proteína GLA da Matriz (MGP).

O paradoxo do Cálcio

O paradoxo do cálcio é a denominação que recebeu um quadro metabólico que muitas vezes surge em pessoas com doença renal crónica, mulheres pós menopausa, e consumidores de droga como os ionóforos orgânicos ou outras substâncias que aumentam a fuga de iões de cálcio do retículo endoplásmico das células.

Este quadro carateriza-se por uma presença de cálcio no sangue superior ao normal (hipercalcémia) geralmente devido a alterações do metabolismo para tiroideu (hiperparatiroidismo) juntamente com uma deficiência de vitamina K ativa (KH2) no organismo.

Tudo isto faz com que o cálcio que circula fique depositado em lugares ectópicos, ou seja, onde não deveria. Este fenómeno é conhecido como calcificação extra-esquelética.

Calcificação vascular

Representação gráfica da calcificação vascular da túnica íntima (a) e média (b).

Este cálcio é acumulado nas paredes dos vasos sanguíneos:

  • Tanto na túnica íntima onde muitas vezes se une a depósitos de colesterol e redes de fibrina levando ao desenvolvimento da famosa placa ateroesclerótica calcificada, um dos principais responsáveis por enfartes agudos e morte.
  • Como na túnica média, onde altera a função das células contrácteis do tecido liso para um fenótipo osteogénico conhecido como esclerose de Monckeberg que faz com que as artérias e as veias fiquem duras, pouco flexíveis; esta é uma das principais causas de hipertensão e episódios hemorrágicos potencialmente letais.

Como evitá-lo?

Uma das formas enfrentar isto, que está a abrir caminho nas pesquisas preliminares de controlo da calcificação vascular em doentes com CKD é a suplementação com vitamina K.

A vitamina K é absolutamente segura, tanto que neste momento é a única vitamina lipossolúvel que não tem um limite de consumo seguro estabelecido por la EFSA, mesmo que o seu consumo deva ser controlado em doentes que utilizam tratamentos anticoagulantes com mecanismos de ação antiprotrombina.

A vitamina K, como fator indispensável da carboxilação (ativação) das VKDP é uma peça fundamental na melhoria da calcificação do osso e a prevenção da calcificação vascular.

Calcificação músculo liso

Mecanismo de calcificação no músculo liso e no osso segundo o estado da vitamina K.

O que é que acontece se existir insuficiência de vitamina K?

Esta condição aumenta a densidade de Osteocalcina descarboxilada e Proteína GLA de matriz descarboxilada (ucOC e ucMGP, respetivamente) fazendo com que na presença de elevadas concentrações de cálcio no sangue, em vez de ser utilizado para a formação de sais de hidroxiapatita no osso, aumentando a sua densidade e reforçando-o; se deposite nas veias e as artérias levando a calcificação vascular da qual falamos anteriormente.

Apesar disso, fornecer vitamina K em quantidade adequada através da dieta permite carboxilar ambas as proteínas, levando ao controlo do equilíbrio desta condição e a melhoria geral do estado de saúde:

Aumentando a densidade e o conteúdo mineral do osso e prevenindo a calcificação das paredes do sistema sanguíneo (também as válvulas do coração e outras estruturas do sistema cardiovascular).

Vitamina D3 e K2 juntas

Quem tenha estado com atenção já terá entendido o porquê da sua combinação, mas, se não o tiveres entendido, passo a explicar.

A vitamina D é utilizada para tratar ou prevenir a insuficiência/ deficiência desta vitamina no organismo, mas não nos devemos enganar, todos a tomam sem controlo médico de forma preventiva e não fazem ideia de como estão as vossas concentrações.

Consumir vitamina D3 na forma de suplemento é uma boa estratégia.

De facto, é recomendada por muitas instituições sanitárias uma vez que a quantidade de radiação que recebem as pessoas que residem em latitudes mais afastadas do equador é insuficiente para sintetizar vitamina D todo ou quase todo o ano.

Radiação Ultravioleta

Representação geográfica das zonas de (in-)suficiência de radiação Ultravioleta para sintetizar vitamina D.

Como a vitamina D aumenta as concentrações de cálcio no sangue, é importante assegurar um estatuto de suficiência de vitamina K para que o cálcio seja depositado onde precisamos e não em outros locais.

Saúde óssea e vascular

Efeitos da vitamina K e o Cálcio (com Vitamina K) sobre a saúde óssea e vascular.

Referências Bibliográficas

  1. Demay, M. B. (2018). The good and the bad of Vitamin D inactivation. Journal of Clinical Investigation, 128(9), 3736–3738.
  2. Fusaro, M., Crepaldi, G., Maggi, S., D’Angelo, A., Calo, L., Miozzo, D.,… Gallieni, M. (2011). Bleeding, Vertebral Fractures and Vascular Calcifications in Patients Treated with Warfarin: Hope for Lower Risks with Alternative Therapies. Current Vascular Pharmacology, 9(6), 763–769.
  3. Wasilewski, G. B., Vervloet, M. G., & Schurgers, L. J. (2019). The Bone—Vasculature Axis: Calcium Supplementation and the Role of Vitamin K. Frontiers in Cardiovascular Medicine, 6, 6.

Entradas Relacionadas

  • Conheces alimentos ricos em Vitamina K? Apresentamos estes.
  • Vamos contar tudo sobre a Vitamina D em este link.
Avaliação da Vitamina D3 e K2

Funções - 100%

Défice de vitamina K - 100%

Consumir juntas - 100%

Suplementos - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Alfredo Valdés
Alfredo Valdés
Especialista e treino de fisiopatologia metabólica e nos efeitos biomoleculares da alimentação e o exercício físico, com os seus artigos, vai levar-te no complexo mundo da nutrição desportiva e clínica, de forma simples e desde uma perspectiva crítica.
Confira também
carencia vit b12
Conheces os efeitos negativos da falta de vitamina B12?

A característica da Vitamina B12 é que não se elimina rapidamente no organismo, como ocorre …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *