Taurina: Tudo o que tens que Saber

Taurina: Tudo o que tens que Saber

A Taurina é o suplemento alimentar da moda.

Todos os desportistas a consomem pelos seus benefícios e propriedades: antes das suas competições desportivas, à noite antes de dormir… E cada vez mais encontramos investigações da sua aplicação sobre a saúde em humanos.

O que fez para que tenha este protagonismo no panorama nutricional? Fica por aí que te vamos contar todos os pormenores!

O que é

A taurina é um aminoácido, esses constituintes das proteínas que todos conhecemos. No entanto, neste caso há uma pequena diferença.

É um aminoácido com propriedades não proteinogénicas, que não está presente nas proteínas do nosso organismo, e que unicamente se encontra presente na forma livre graças à capacidade do organismo de o criar mediante a aplicação de reações metabólicas.

Por este motivo, não é um nutriente essencial. No entanto, em certas condições é considerada de consumo indispensável através da dieta, como é no caso das crianças em idade de crescimento (Gil, 2010).

Taurina info

Para que é a Taurina

Até há umas décadas atrás, era considerada um “osmolito”.

Isto quer dizer: um componente dos tecidos líquidos do nosso corpo (como o sangue ou o meio intersticial) que unicamente cumpria um papel como agente de carga para evitar perder pressão osmótica.

Já desde há mais de 10 anos que sabemos que não se limita a este papel, e a sua insuficiência completa (também dos seus precursores) é associada a:

  • Alterações do sistema nervoso.
  • Funcionamento hepático.
  • Desenvolvimento visual.
  • Manutenção da integridade da retina.

(Ripps y Shen, 2012).

Estrutura Molecular da Taurina

Estrutura molecular da taurina.

Conheces estes 11 Benefícios que a Taurina nos dá para cuidar a nossa saúde? Visita este link e não fiques sem os descobrir!

Quais são as propriedades da Taurina

Atualmente, é muito utilizada por desportistas, depois da publicação de uma série de estudos científicos em humanos onde a suplementação alimentar com este composto parecia produzir benefícios na resistência física.

Uma publicação de 10 estudos publicada por Waldron et al. (2018) concluiu que doses entre 1 e 6 gramas em forma de suplemento alimentar tinham benefícios sobre:

  • O aumento do tempo até à fadiga.
  • A potência.

Enquanto que o seu consumo não mostrava resultados positivos nem negativos sobre o tempo específico em provas de velocidade à falta de mais estudos.

Taurina e Neuroproteção

Mecanismos de modulação nervosa e neuroproteção (Jakaria et al., 2019).

Além disso, existe um grande número de literatura que a associa com efeitos reguladores do sistema nervoso central, e continua a ser investigada como um agente de influência positiva sobre estados neurodegenerativos, como o Alzheimer ou o Parkinson.

De onde vem a Taurina

Está muito concentrada na nossa medula espinal, no cérebro e nos olhos e mantém o nosso estado de saúde.

É criada a partir da conversão de outros aminoácidos: Cisteína e Metionina, neste caso, são nutricionalmente indispensáveis, mediante a ação da enzima Cisteinasulfinato descarboxilase (CSD).

Síntese de Taurina

Rota de síntese a partir da cisteína por meio da cisteinasulfinato descarboxilase.

Apesar de existirem outros caminhos de síntese, são menores em comparação com a conversão da cisteína.

Também se pode sintetizar quimicamente em laboratório, que é o método de preferência que satisfaz as condições para a sua produção como suplemento alimentar de consumo.

Alimentos que contêm Taurina

Os grupos de alimentos que mais a contêm são os frutos secos e os mariscos e cefalópodes.

Em função da espécie concreta a concentração é muito variável, flutuando desde umas poucas miligramas até gramas, por cada 100g de alimento.

Nesta representação gráfica pode ver-se claramente a variabilidade da concentração em diferentes alimentos catalogados pela sua origem.

Concentração de Taurina em Alimentos

Concentração de taurina em vários alimentos de origem animal.

Pasantes-Morales, Quesada, Alcocer e Sánchez, em 1989, publicaram no Nutrition Reports International, um estudo determinando as concentrações dos alimentos mais consumidos no México.

Podemos utilizar estes dados como referência para selecionar as nossas escolhas alimentares de consumo, na procura daquelas opções mais ricas.

AlimentoConteúdo (µmol/g)
Carnes
Vaca3,7
Porco4
Frango (pechuga)1,4
Frango (perna)6,6
Peixes
Tilápia9,1
Mariscos
Gambas3,5
Ameijôas41,4
Polvo31,2
Lagostins12,4

Taurina em frutos secos

Taurina em frutos secos.

Em medidas de dimensão de uma milésima menor (nanomóis) encontraram:

AlimentoConteúdo (nmol/g)
Frutos com casca
Noz15,4
Amêndoa17,9
Caju38,3
Pistacho4,9
Avelã46,8
Pinhões33,4
Leguminosas
Feijão preto9,2
Favas12,9
Grão18,7
Lentilhas13,3
Semillas
Sementes de abóbora13,5

Outros alimentos avaliados nos quais não foram detetadas concentrações quantificáveis, são:

Presunto, manteiga de porco, gemas e claras de ovo, leite de vaca, iogurte, queijo, mel, frutas e vegetais, incluído o abacate, as ervilhas e as batatas, feijões, amendoins, cereais (arroz, milho, trigo, etc.), sementes de girassol, sésamo, café e cacau.

Contra-indicações

Não existem contra-indicações específicas, já que se encontra naturalmente presente no organismo e com o qual o nosso corpo se encontra familiarizado.

O consumo até doses de 3g foi estabelecida como uma prática com alto grau de segurança, apesar de ter sido avaliada a suplementação alimentar com doses de até 10g sem efeitos adversos de forma generalizada.

Recomenda-se utilizar com precaução, sob conhecimento e controlo médico, durante a gravidez e a lactância, já que não dispomos de suficientes dados toxicológicos neste período.

Taurina segura

Mesmo assim, a evidência preliminar tende a assinalar um efeito positivo ao ser capaz de transferir parte através do leite da mama, enriquecendo o seu potencial nutricional.

Recomenda-se evitar o seu consumo: quando se segue um tratamento com agentes trombolíticos, anticoagulantes, antiagregantes plaquetários, e/ou salicilatos, já que pode interferir aumentando os seus efeitos.

Os principais efeitos secundários foram descritos em casos de consumo de bebidas energéticas que contêm o ingrediente. No entanto, a sua relação não é causal já que não se pôde estabelecer relação entre os eventos (principalmente cardiovasculares) e a taurina em si mesma.

Bebida energetica

Empregado de mesa servindo uma bebida energética comercial.

A evidência atual assinala que os efeitos adversos em ocasiões relacionados à taurina se devem-se à utilização de grandes quantidades de estimulantes em combinação com álcool e/ou exercício físico intenso.

Taurina em bebidas energéticas

A maioria das marcas conhecidas de bebidas energéticas do mercado utilizam-na como ingrediente nas suas fórmulas.

De facto, a própria página oficial da Red Bull® responde a uma das perguntas mais feitas sobre este ingrediente que contêm as suas bebidas comerciais: A taurina é obtida dos testículos dos touros?
  • A sua utilização nas bebidas energéticas deve-se ao anteriormente descrito, possível efeito neuroprotetor contra a excitabilidade nervosa que pode induzir o uso de elevadas doses de cafeína.
  • Acrescenta-se que as bebidas com elevado teor em cafeína como uma estratégia com potencial teórico para fazer face à sobreativação que gera a cafeína.

Onde comprar Taurina?

Podes encontrá-la nos produtos da HSN.

Dispomos do aminoácido puro na sua forma química natural, tanto em formato em pó como em cápsulas de elevada concentração (500mg):

Taurina em Pó da RawSeries

Procuras um suplemento alimentar para adicionar aos teus pré-treinos? Não percas L-Taurina em pó da RawSeries!

Este suplemento alimentar tem um relatório de pureza publicado por um laboratório externo que certifica que o conteúdo é superior a 90% de pureza, mais concretamente um valor médio de 94,5%.

Taurina 500mg da EssentialSeries

Também dispões do suplemento alimentar L-Taurina em cápsulas vegetais, completamente apto para vegan. Uma forma mais fácil de dosificar o aminoácido de forma precisa!

Encontra os melhores produtos para a tua alimentação na HSN! We are nutrition!

Referências bibliográficas

  1. Jakaria, M., Azam, S., Haque, M. E., Jo, S. H., Uddin, M. S., Kim, I. S., & Choi, D. K. (2019). Taurine and its analogs in neurological disorders: Focus on therapeutic potential and molecular mechanisms. Redox Biology, 24, 1–15.
  2. Pasantes-Morales, H., Quesada, O., Alcocer, L., & Sanchez Olea, R. (1989). Taurine content in foods. Nutrition Reports International, 40(4), 793–801.
    Ripps, H., & Shen, W. (2012). Review: Taurine: A “very essential” amino acid. Molecular Vision, 18, 2673–2686.
  3. Waldron, M., Patterson, S. D., Tallent, J., & Jeffries, O. (2018). The Effects of an Oral Taurine Dose and Supplementation Period on Endurance Exercise Performance in Humans: A Meta-Analysis. Sports Medicine, 48(5), 1247–1253.
  4. Yamori, Y., Taguchi, T., Hamada, A., Kunimasa, K., Mori, H., & Mori, M. (2010). Taurine in health and diseases: Consistent evidence from experimental and epidemiological studies. Journal of Biomedical Science, 17(SUPPL. 1), S6.

Entradas Relacionadas

  • Queres retirar o máximo proveito aos teus Suplementos de Pré-Treino? Recomendamos que deites uma vista de olhos a este artigo.
  • Analisamos as principais bebidas energéticas fazendo clique aqui.
Avaliação Taurina

O que é - 100%

Para que se utiliza - 100%

Contra-indicações - 100%

Suplementos - 100%

100%

HSN Evaluação: 4.5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Melanie Ramos
Melanie Ramos
A través do Blog da HSN, Melanie Ramos expõe os conhecimentos e os conteúdos mais actuais, ao alcance dos leitores que procuram aprender.
Confira também
teanina stress
L-Teanina: Descobre o aminoácido para combater o stress

É provável que tenhas ouvido falar da teanina como um relaxante fora de serie, os …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.