Hipotiroidismo: O que é, Causas, Sintomas, Conselhos para a Dieta

Hipotiroidismo: O que é, Causas, Sintomas, Conselhos para a Dieta

O Hipotiroidismo é uma doença que afeta uma parte da população. Hoje vamos ver no que consiste, os tipos, o que a causa, quais são os seus sintomas e recomendações nutricionais para a melhorar.

O que é o hipotiroidismo

Trata-se de uma patologia frequente que afeta a nossa glândula tiroide, um pequeno órgão endocrino localizado no pescoço e com forma de borboleta.

A função principal da referida glândula é a síntese e a secreção de hormonas tiroidais encarregues de cumprir importantes funções metabólicas.

Quando, por um motivo determinado, a glândula tiroide não desempenha adequadamente a sua função e fabrica menor quantidade de hormonas tiroidais do que deve, falamos de hipotiroidismo.

A situação contrária leva a outro transtorno com implicações muito diferentes, o hipertiroidismo, onde existe maior produção de hormonas tiroidais.

Quais são as causas da doença

Existem diferentes tipos de hipotiroidismo dependendo se o problema inicial esteja na própria glândula tiroide (hipotiroidismo primário) ou nas hormonas que a regulam: a TRH e a TSH (hipotiroidismo central).

Este último é muito menos frequente e quase sempre secundário a uma patologia ao nível da hipófise ou glândula pituitária, pelo que não vamos aprofundar sobre este tema.

Glândula da tiroide

O hipotiroidismo primário, como referimos, é o mais frequente.

Por que motivo pode funcionar menos do que uma glândula tiroide previamente saudável?

Por motivos muito diferentes:

  • O mais frequente é devido a uma patologia de características, produzindo o hipotiroidismo auto-imunitário chamado tiroidite de Hashimoto, ou tiroidite crónica linfocitária.
Atualmente e com diferença, a maioria de hipotiroidismos deve-se a esta causa.
  • A radiação da glândula como efeito secundário de um tratamento radioterapêutico no cancro.
Isto é conhecido como hipotiroidismo iatrogénico.
  • Tendo a necessidade de retirar cirurgicamente a glândula tiroide por causa de um cancro de tiroide (ou de outro tipo).
  • Outra causa cada vez menos frequente é um défice muito marcado de Iodo.
Com a fortificação do sal, esta causa de hipotiroidismo está condenada a desaparecer rapidamente.
  • Uma inflamação aguda ou sub-aguda da glândula tiroide, conhecida como tiroidite sub-aguda, mas este transtorno costuma ser transitório.
  • Défices congénitos de hormonas que realizam a biosíntese das hormonas tiroidais.

Hipotiroidismo sintomas

Os sintomas do hipotiroidismo não são frequentemente muito específicos e confundem a população em geral.

Quando temos um hipotiroidismo manifesto e não tratado, aparecem: fadiga, letargia, prisão de ventre, intolerância ao frio, miopatia (dores musculares) e pode haver transtornos como o síndrome do túnel carpiano ou inclusivamente transtornos menstruais.

Relativamente aos sinais clínicos, a pele torna-se seca e áspera, o cabelo torna-se frágil e cai, a voz torna-se mais rouca e pode aparecer apneia do sono.

Sintomas do hipotiroidismo na mulher

Na mulher, os sintomas são superiores aos do homem, mas, por motivos óbvios, daremos ênfase aos transtornos menstruais que podem aparecer nas mulheres em idade fértil, normalmente oligomenorreia ou inclusivamente amenorreia.

Como se diagnostica?

O diagnóstico do hipotiroidismo é principalmente analítico dado que os sintomas não são específicos (muitas patologias podem produzir os mesmos sintomas e, portanto, não os podemos utilizar para diagnosticar a doença).

Perante a suspeita de hipotiroidismo primário, o teste com melhor sensibilidade é a TSH.

Sintomas do Hipotiroidismo

Isto quer dizer que é o teste que melhor deteta os doentes.

Portanto, quando temos um valor de TSH por cima da normalidade (isto varia dependendo de cada laboratório, mas poderemos normalizá-lo em 5 microU/ml), devemos medir as chamadas hormonas tiroidais periféricas, ou hormonas T4L (T4 livre) e T3L (T3 livre).

  • Quando estas hormonas periféricas (as hormonas tiroidais propriamente ditas) estão num intervalo de normalidade, falamos de hipotiroidismo subclínico.
  • Quando estão diminuidas, confirmámos o hipotiroidismo primário.
É importante ressaltar que as verdadeiras hormonas tiroidais são a T4 e a T3, pelo que no caso do hipotiroidismo subclínico (onde estas estão normais), não devemos ter em princípio sintomas de hipotiroidismo ou estes devem ser leves.

Quem pode padecer de hipotiroidismo?

Realmente ninguém está isento de padecer de hipotiroidismo e trata-se de uma patologia que pode acontecer em qualquer etapa da vida.

Não obstante, nas últimas décadas assistimos a um aumento importante da prevalência de hipotiroidismo primário auto-imunitário (o mais frequente), em detrimento de outros tipos cada vez menos frequentes, como aquele associado a uma baixa ingestão de iodo.

Porém, a justificação deste facto é motivo de polémica na comunidade científica, mas podemos atribui-lo a que cada vez mais se solicitam exames analíticos (praticamente toda a gente tem uma TSH feita hoje em dia) e a alterações relativas à nossa alimentação e estilo de vida, que fazem com que as patologias auto-imunitárias estejam na moda.

Tratamento do hipotiroidismo

O tratamento médico do hipotiroidismo é simples, e consiste em fornecer de forma exógena a hormona que a tiroide não é capaz de produzir por si mesma.

Seja por uma patologia auto-imunitária (Hashimoto), porque não há tiroide ou porque existe um bloqueio na síntese de hormonas tiroidais (efeito Wolff-Chaikoff) por um consumo excessivo de iodo.

Este fornecimento é feito en forma de Levotiroxina (que é a hormona T4) frequentemente, ou Eutirox, nome comercial amplamente conhecido.

Qual a dieta a seguir?

Surgem muitas dúvidas relativamente à alimentação em hipotiroidismo.

Uma das perguntas mais frequentes na consulta médica, quando tratamos ou diagnosticamos esta patologia, é:

“O que devo comer, Doutor?”

Enquanto alguns profissionais não dão nenhuma importância à dieta, existem outras figuras na internet que procuram “curar” de alguma forma o hipotiroidismo com alterações na alimentação.

A minha opinião é, como quase sempre, intermédia, e se és leitor da HSN quero que tenhas em conta os seguintes aspetos:

Iodo

O iodo é um micronutriente totalmente necessário para a síntese de hormonas tiroidais, mas este é um cenário onde se cumpre o preceito “mais não é melhor”.

A CDR de iodo para a população em geral é de cerca de 150 mcg (algo mais na gravidez e lactância) e foi relacionado um excesso de ingestão deste em pessoas previamente deficientes com maior auto-imunidade tiroidal e em menores níveis de hormonas tiroidais periféricas.

Pelo que a recomendação, em qualquer caso, não pode ser “tome mais iodo”. É melhor dizer, “tome o iodo necessário, mas não tome mais do que isso”.

Selénio

A deficiência de selénio está relacionada com maiores níveis de anti-corpos na tiroidite de Hashimoto e a sua suplementação diminui a quantidade dos mesmos.

Selénio HSN

Selénio da EssentialSeries.

Isto é assim porque existem proteínas que colaboram na síntese de hormonas tiroidais, que dependem do selénio (as chamadas selenoproteínas).

Ferro

Surpreendentemente, a deficiência de ferro e a patologia tiroidal auto-imunitária parecem estar associadas.

Se tens esta patologia, da próxima vez que peças uma análise não é demasiado verificar os teus níveis de ferro e, se são baixos, corrigi-los, obviamente.

Deixamos uma lista com os 15 alimentos mais ricos em ferro.

Vitamina D

A hormona da moda.

Através um efeito imunomodulador e antinflamatório mediado pela vitamina D podem reduzir-se os níveis de anti-corpos antitiroidais.

Uma vez mais, a recomendação é verificar os níveis desta hormona se tiveres esta patologia.

Glúten

Uma tendência cada vez com maior inércia entre alguns nutricionistas é retirar o glúten em pacientes com tiroidite auto-imunitário.

A este respeito, podemos dizer que a tiroidite de Hashimoto é associada a doenças celíacas, em que eliminar o glúten é relacionado com uma descida da auto-imunidade em algum ensaio clínico e que, no entanto, este facto não está relacionado com a modificação em hormonas periféricas nem em TSH.

Glúten e Hipotiroidismo

O mais importante ainda, com a redução dos sintomas dos pacientes.

Portanto, a recomendação de retirar o glúten deve ser individualizada e não imposta a todos os pacientes com esta patologia, que infelizmente são muitos.

Zinco e Magnésio

A deficiência destes dois micronutrientes aumenta o risco de tiroidite de Hashimoto.

Lactose

Quase 80% das pessoas com Tiroidite de Hashimoto têm intolerância à lactose e uma dieta sem lactose naqueles com intolerância demonstraram reduzir a TSH.

Soja

As isoflavonas têm a capacidade de inibir a tiroperoxidase tiroidal. Não obstante, às doses habituais não existe um efeito significativo na TSH, T4 ou T3.

Crucíferas

Passa-se algo de parecido com as crucíferas.

A goitrina e tiocianato são substâncias chamadas bociógenas presentes nestas verduras e condicionam menos captação de Iodo na tiroide. Mas o consumo prejudicial situa-se em quantidades que ninguém, ou muito poucas pessoas, tomam diariamente.

Falamos de >1 kg diários durante vários meses.

Crucíferas e Hipotiroidismo

Além disso, não esquecer o efeito positivo das crucíferas noutras áreas da saúde, como por exemplo o seu potente efeito anticancerígeno.

Em conclusão, se comeres crucíferas numa “dose” habitual, não tens de te preocupar.

Conselhos para pessoas com hipotiroidismo

Se és uma das pessoas que tem de viver com esta patologia endocrina, o meu melhor conselho é que prestes atenção às recomendações do teu médico de família ou endocrino.

Mas, ao mesmo tempo, procurar melhorar o teu estilo de vida.

Como deves ter percebido, há elementos da dieta que têm muito que dizer na patogenia desta doença (e muitos outros que de certeza desconhecemos).

Da mesma forma, o stress crónico e o sedentarismo demonstraram ser facilitadores de doenças auto-imunitárias e da tiroidite de Hashimoto não escapa a estes factos.

Enquanto conhecemos mais sobre as causas concretas desta doença, cuidares do teu estilo de vida é o melhor que podes fazer.

Entradas Relacionadas

  • O Kelp é um suplemento relacionado com a melhoria do metabolismo… continuar a ler.
  • Através do exercício é possível regular a tiroide. Faz clique aqui e explicamos como.
Avaliação Hipotiroidismo

O que é - 100%

Causas - 100%

Sintomas - 100%

Recomendações - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Carlos Sánchez
Carlos Sánchez
Carlos Sánchez é licenciado em Nutrição Humana e Dietética, e por isso todas as suas ações são rigorosamente apoiadas pela ciência.
Confira também
Trabalho por turnos
Trabalho por turnos e Desempenho Desportivo

Falamos-te da relação entre o trabalho por turnos e o desporto e de como isso …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.