Suplementos para lesões

Suplementos para lesões

A lesão, o inimigo por excelência de todo o ser humano, desportista ou não, seja profissional ou amador. Quem ainda não teve ou tem uma lesão por praticar alguma atividade física, ou simplesmente por excesso de esforço no seu dia a dia? Realmente toda a gente é propensa a padecer, não apenas uma, mas várias lesões de maior ou menor gravidade ao longo da sua vida.

Se é verdade que o ambiente no qual nos movimentamos hoje em dia (stress, maus hábitos de postura e nutricionais, exercício desadequado sobre alterações funcionais, etc) também contribui de maneira positiva para mitigar, em certa medida, as possibilidades de que possamos ter mais ou menos lesões, no âmbito desportivo, doméstico, laboral ou de ócio. Vou tentar explicar sem pretender ser exaustivo.

Basicamente, o ser humano foi degradando a sua funcionalidade natural e biológica conforme se foi tornando mais sedentário, até chegar ao ponto no qual pouco tem que ver como nos movemos atualmente, e como a biologia ditou em certo momento que o tínhamos que fazer. Por este facto, geram-se no organismo alterações químicas e estruturais que nos levam diretamente pelo caminho da lesão.

É por isso que cada vez mais procuramos a maneira, seja física, psicológica ou nutricional, de fornecer ao nosso corpo as vias necessárias para que nos proteja destas indesejadas inimigas.

Evolução

Por que motivo se deve suplementar para evitar as lesões?

Sem dúvida nenhuma que a percentagem mais elevada de lesões acontece nas articulações e tecidos envolventes, como ligamentos, cartilagens e tendões, já que qualquer descompensação muscular vai originar, por seu lado, uma compensação desfuncional que vai incidir diretamente sobre a articulação à que esteja ligada, e indiretamente a outras mais afastadas.

Quando isto acontece, fora a precária congruência articular, diferença de tensões e pressões que produzem desgastes e inflamações nos tecidos, tudo isto vai dar lugar a episódios tão famosos, como a artrite ou, já em casos mais severos e degenerativos, a artroses; somos muito mais susceptíveis a sofrer uma lesão importante que nos mantenha fora de jogo durante algum tempo, baixando o ritmo de treino, chegando inclusivamente a ter que parar.

Na minha opinião, e como o próprio artigo indica, ou pelo menos aquele que eu pretendo dar, o conceito de ‘suplemento’ ou ‘complemento’ tem minimamente um sentido farmacológico, ou seja, são produtos à base de extratos naturais não sintéticos e que estão longe de produzir os efeitos prejudiciais dos fármacos, como o ibuprofeno (AINE), que infelizmente é hoje o líder indiscutível de consumo no que se refere ao tratamento de qualquer lesão e que, sob o meu ponto de vista, fornece muitíssimos mais inconvenientes do que vantagens a curto e sobretudo a longo prazo.

É por isso que recorrer a produtos ‘biologicamente naturais’, e que já por si mesmos se geram e se sintetizam dentro do nosso corpo, é muito mais benéfico, com os quais vamos conseguir melhores e mais favoráveis resultados no que diz respeito ao nosso objetivo de recuperar ou evitar uma lesão, bem como para a nossa saúde em geral.

Dores musculares

Suplementos para as lesões

Vamos então diretos ao assunto. Dentro da suplementação desportiva e natural podemos encontrar vários produtos destinados a este fim, tanto combinados num só, o qual te fornece em termos gerais e em apenas uma ou várias tomas a dose de componentes necessários em quantidades variáveis, em função do fabricante ou objetivo, ou cada componente por separado para utilizar o que mais nos convier, ou aumentar a dose de algum em especial em função das nossas necessidades.

Regra geral, sejam combinados ou não, os componentes estrela mais famosos e utilizados no âmbito da saúde articular para evitar, mitigar ou quando já estão presentes as lesões e os seus efeitos negativos sobre nós, são:

Msm (metilsulfonilmetano)

Esta forma molecular de enxofre é das mais biodisponíveis (85%) que podemos encontrar no mercado, por isso é das mais eficazes. O enxofre faz parte dos minerais essenciais para o organismo. As insuficiências deste mineral estão associadas a processos de envelhecimento da pele e deterioração dos tecidos. Quando o organismo possui quantidades ideais de MSM, favorece a flexibilidade dos tecidos conectores e da pele, contribuindo para uma boa cicatrização. O MSM também possui propriedades anti-inflamatórias. As pessoas com artrite costumam indicar muito boas sensações ao tomar MSM, sobretudo em mulheres. Estudos indicam bons resultados em dores articulares, artrose, artrite, Síndrome do Túnel Carpiano, epicondilite, tendinite, inclusivamente dores de cabeça. O efeito benéfico do MSM e a sua capacidade para aguentar o fluxo celular, permitindo que as substâncias daninhas, como o ácido lácteo, saiam, enquanto permite que os nutrientes entrem, fazem dele um produto formidável.

Sulfato de Glucosamina e Sulfato de Condroitinina

Estes componentes são a base química do tecido cartilaginoso que se encontra por todo o corpo de diferentes formas, e, em função da sua especialidade, podemos encontrá-lo nas cartilagens de todas as articulações, discos intervertebrais, tendões, ligamentos e cápsulas articulares, meniscos e inclusivamente na própria fascia que reveste cada microfibra muscular, vísceras e perióstio dos ossos. Os condrócitos são células que produzem colagénio e proteoglicanos, estes últimos formados por estas duas substâncias, entre outras.

É por tudo isto que utilizar suplementação com esta composição não apenas nos vai proteger contra possíveis lesões, mas também nos vai ajudar na própria regeneração dos tecidos que ficaram danificados com a lesão. Investigações confirmaram os benefícios destas substâncias no momento de tratar um processo de lesão e reduzir o tempo de convalescença. Sem dúvida que também vão colaborar, e sempre que se trabalhe posteriormente, na melhoria da função propiocetiva da articulação, voltando a dar-lhe uma ótima qualidade de movimento.

Colagénio

Como anteriormente referimos, os condrócitos também produzem colagénio, o mesmo que podemos ver na maioria dos tecidos, inclusive na pele, cabelo e unhas, e dá-lhes flexibilidade, elasticidade e características estruturais. São proteínas fortes e de caráter fibroso. Insuficiências deste componente podem dar lugar a rigidez, dor articular e processos inflamatórios de artrite e tendinite, entre outros.

Em suplementação, podemos encontrar colagénio sobretudo de duas formas:

  1. Marinho: Proveniente do peixe, sendo hidrolisado para obter o peso molecular ideal e das melhores propriedades.
  2. Terrestre: A partir de bovino, porco ou inclusivamente aviar, por exemplo, do esterno do frango, obtido colagénio em pó.

Ao consumir colagénio, seja de forma hidrolisada ou não, o nosso corpo vai decompô-lo nos seus aminoácidos mais simples, que se vão digerir e passar para a corrente sanguínea para serem utilizados pelas células quando o organismo o necessite. Como fonte natural deste elemento, podemos recorrer à gelatina. Dada a sua importância no organismo, é outro magnífico aliado para o consumir como suplemento.

Ácido Hialurónico

É outra das substâncias presentes de forma natural no corpo humano. Ao fazer parte dos glucossaminoglicanos, tem relação direta com o sulfato de glucosamina e condroitinina, e tem um papel fundamental no processo homeostático articular, ou seja, intervém nos processos de auto-regulação e manutenção da composição e propriedades internas das articulações e tecidos, sobretudo com o líquido sinovial, o qual lubrifica e nutre a cartilagem.

Cabe destacar que é uma substância que ajuda a reter água, que hidrata os tecidos, característica muito importante, sobretudo na pele.

Existem vários estudos que evidenciam a eficiência do ácido hialurónico para o tratamento de dores e inflamações de joelho, mas também é verdade que se costumam fazer através de infiltrações diretamente na articulação, mas é um método ao que talvez nem toda a gente pode aceder com facilidade. Não obstante, também se notam melhorias consumindo-o oralmente.

É, portanto, outra das opções viáveis na hora de lidar com as lesões.

Magnésio

O magnésio na sua forma salina é um mineral bastante importante para toda a célula viva. Observou-se que tem uma relação direta na formação do colagénio, podemos dizer até que funciona em certo modo como precursor. Insuficiências de magnésio são associadas com a artrite e a osteoporose, patologia que degrada o sistema ósseo.

Por outro lado, também tem uma estreita relação com o stress, o qual pode gerar défice de magnésio, e vice-versa. Dito défice contribui para adotar uma hipersensibilidade ao stress.

Nas mulheres é muito importante, sobretudo em momentos de câmbios hormonais, como a menstrução e gravidez. Inclusivamente, existem estudos que demonstram a eficácia do Magnésio e os seus sais de acordo com a biodisponibilidade.

No âmbito desportivo, está muito ligado ao aparecimento de cãibras e espasmos musculares durante ou depois do exercício, já que está presente nas células do tecido nervoso; e já sabemos que são desagradáveis e dolorosos, mais ainda quando aparecem constantemente.

As apontadas razões são suficientes para o incluir na alimentação diária

Não quero deixar passar em claro a ação negativa que um meio ácido no qual se encontre o nosso organismo pode produzir nos nossos tecidos musculares, conector e inclusivamente neural, destruindo-os literalmente. Existem diversas causas pelas quais podemos gerar um ambiente ácido no nosso corpo mas, do meu ponto de vista, a mais importante é o stress, seja por excesso de esforço físico ou psicológico.

Os efeitos do stress diário e prolongado provocam verdadeiros problemas por causa do aumento de forma significativa os níveis de cortisol, acidificando o sangue e demais fluidos extra-celulares.

Suplementos saúde articular

Outros suplementos

É evidente que devemos contribuir para reverter o desequilíbrio dos níveis de cortisol, e para tanto também podemos socorrer-nos de suplementos, tais como:

Complexos de sais minerais

Estas fórmulas são ricas em cálcio, magnésio, crómio e zinco, e vitaminas do grupo B, as quais têm um papel essencial nas reações do stress e ajudam a mitigar os seus efeitos, como o cansaço físico.

Antioxidantes

Ajudam a eliminar os malignos radicais livres, moléculas instáveis e altamente reativas que têm como objetivo oxidar outras que são benéficas, tornando-as assim instáveis, provocando deste modo uma reação em cadeia que, sem dúvida nenhuma, vai provocar vários danos celulares. Entre os melhores antioxidantes podemos encontrar Ácido Alfa Lipóico, Resveratrol, Vitamina C, Chlorella, Astaxanthin e CoQ-10.

Adaptogénicos

Podemos encontrar: Ginseng, o Astrágalo, Rhodiola e Ashwagandha, que ajudam o corpo a lidar com os efeitos secundários do stress e a reequilibrar o metabolismo. Estes suplementos não só mantêm os níveis de cortisol mais baixos como também ajudam a diminuir os efeitos do stress no corpo mediante o estímulo do sistema imunitário.

A melatonina

Apesar de ser sintetizada em laboratórios, é uma hormona que se encontra na forma natural no corpo. Esta hormona tem como característica principal a de regular o ritmo biológico e o ciclo do sono/vigília do organismo. O consumo esporádico de melatonina demonstrou combater os efeitos prolongados do cortisol, regulação hormonal e ajudar a dormir e descansar melhor.

Conclusões

Em conclusão, não só podemos como devemos procurar todas estas alternativas que nos facilitem de algum modo a melhorar a nossa saúde e a recuperação dessas lesões que intoxicam a nossa qualidade de vida. E uma delas é claramente a via da suplementação.

Avaliação Suplementos para Lesões

Anti-inflamatório Natural - 100%

Alivia a Dor Crónica - 100%

Reduz o Desgaste da Cartilagem - 100%

Sem Efeitos Secundários - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Carlos Sánchez
Carlos Sánchez
Carlos Sánchez é um apaixonado da nutrição e do desporto. Diplomado em Nutrição Humana e Dietética, sempre procura dar um sentido prático e aplicável nas diferentes teorias.
Confira também
colagénio vegan
Colagénio Vegan, existe?

É possível encontrar Colagénio Vegan? Índice1. Suplementos e Estilo de Vida Saudável2. Regulamentação3. O fraude …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *