Sais de Zinco segundo a Biodisponibilidade

Sais de Zinco segundo a Biodisponibilidade

Dos Sais de Zinco, qual deles apresenta maior biodisponibilidade?

O que são Sais de Zinco?

Os sais de zinco são complexos compostos pelo mineral em questão (zinco) mais um ácido, desta forma o elemento é estabilizado eletricamente e faz com que a sua disponibilidade no organismo aumente.

Gluconato vs sulfato de zinco

Gluconato de zinco e sulfato de zinco. Zinco simples rodeado.

Existe algum sal melhor do que outro?

A utilização de sais depende das suas caraterísticas físico-químicas que alteram a farmacocinética do zinco consumido, ou seja, existem sais:

  • Mais bio disponíveis de forma geral e/ou em determinadas condições.
  • Com maior quantidade de zinco por unidade.

Mas isso não deve ser confundido com a atribuição de diferentes propriedades aos sais, uma vez que todos se baseiam nos efeitos causados pelo seu conteúdo de zinco, independentemente da molécula ligada.

senior

Todos os sais minerais atual da mesma forma, mas não com o mesmo grau.

Como escolher o sal de zinco que melhor se adequa às minhas necessidades?

Em artigos anteriores, como o dos sais de cálcio ou o dos sais de magnésio, apresentamos recomendações específicas relativamente à utilização de uma forma ou outra do mineral segundo o caso particular que possa ser apresentado por cada indivíduo.

Apesar disso, neste momento não é possível apresentar uma recomendação clara, uma vez que todas as formas de zinco comercializadas pela HSN apresentam uma biodisponibilidade máxima, e todas se encontram normalizadas para uma determinada concentração de zinco simples, passo a explicar:

Tanto o gluconato de zinco como o nosso bisglicinato de zinco (zinco quelado) apresentam a mesma quantidade de zinco por cápsula: 25mg.

Se falarmos em produtos de zinco em pó é importante distinguir qual o que contém maior concentração de zinco, porque no mesmo serviço podemos ter diferentes concentrações deste mineral.

A concentração simples do gluconato de zinco é de 14%, enquanto a do bisglicinato é de 30%.

O bisglicinato é superior, porque em 100mg de sal encontramos 30mg de zinco, enquanto na mesma quantidade de sal de gluconato encontramos apensas 14mg de zinco.

Como os sais de zinco que são comercializados pela HSN se encontram em cápsulas ou em pastilhas e todas contêm a mesma quantidade de zinco simples, não é relevante a sua relação com o zinco: sal.

runner

Então são todos iguais?

Sim, se estiverem em pastilhas ou cápsulas com a concentração de zinco normalizado, isto é muito importante, sim.

absorcao

Taxa de absorção parcial de 3 sais de zinco (citrato, gluconato e óxido).

Parece que o óxido de zinco é uma forma ligeiramente menos bio disponível do que outras formas de sais de zinco como o gluconato, o bisglicinato, o citrato, o oroato, ou o sulfato; que demonstraram ser excelentes em qualquer caso.

Outra das grandes diferenças que condicionam a escolha de um sal de zinco ou outra é o seu sabor.

Mas mais uma vez, isto não se aplica a produtos em cápsulas como aqueles que são comercializados, uma vez que não têm sabor devido à utilização de um agente de revestimento que impede o contacto do sal mineral com as papilas gustativas da cavidade bucal.

SABORES INDICADOS PELOS CONSUMIDORES DE DIFERENTES SAIS
Citrato de ZincoLigeiramente amargo
Citrato de ZincoAmargo, adstringente
Óxido de ZincoAmargo
Sulfato de ZincoAdstringente, amargo e metabólico

Os suplementos de zinco são bons?

Sim.

De facto, parece que o zinco que se encontra nos suplementos alimentares apresenta uma taxa de absorção superior ao zinco presente nos alimentos (~60% vs ~30%) (Hambidge et al., 2010).

Não sabemos exatamente a que se deve, uma vez que também controla os principais anti nutrientes (os fitatos) que condicionam negativamente a absorção do zinco nos alimentos, os suplementos continuam a ser superiores, por isso:

  • Ou existem outros inibidores da absorção de zinco que se podem encontrar nos alimentos sem sabermos.
  • Ou então, os suplementos devido às elevadas concentrações de zinco saturam os transportadores das células intestinais e este passa a ser absorvido por mecanismos alternativos (que sabemos que podem se absorvidos por difusão passiva).
Precisamente por isso, devemos ter em conta que os suplementos de zinco devem ser consumidos com o estômago vazio, esperando pelo menos 4 horas até fazer uma refeição rica em cereais e/ou legumes para evitar a ligação do ácido fítico ao zinco no intestino e afetar negativamente a absorção.

Um detalhe do Zinco

Os suplementos com zinco são uma opção muito recomendável para pessoas com dietas de baixa concentração de zinco e/ou elevada concentração em inibidores de absorção do mineral.

De um modo geral. a maioria das pessoas que apresentam um consumo insuficiente de zinco são vegans.

Há que ter em conta que o aumento de concentração de zinco no sangue induz a ativação de várias metaloproteínas que começam a aquelar o cobre que circula no sangue, fazendo com que saia dos nossos tecidos e podendo colocar em risco de sofrer uma deficiência deste oligoelemento (Cousins, 1983).

Etiqueta de zinco

Rótulo do bisglicinato de zinco da HSNessentials.

Por isso, o bisglicinato de zinco da HSNessentials contém 1mg de cobre simples proveniente do gluconato de cobre na sua formulação.

Mesmo assim, convém salientar que estes efeitos de indução dos sequestrantes do cobre foram verificados com consumos desproporcionados de zinco, alcançando as 600mg por dia, o equivalente a 12000% do consumo diário recomendado de zinco (Willis et al., 2005).

Referências Bibliográficas

  1. Andermann, G., & Dietz, M. (1982). The bioavailability and pharmacokinetics of three zinc salts: Zinc pantothenate, zinc sulfate and zinc orotate. European Journal of Drug Metabolism and Pharmacokinetics, 7(3), 233–239.
  2. Cousins, R. J. (1983). Metallothionein – Aspects related to copper and zinc metabolism. Journal of Inherited Metabolic Disease, 6(1 Supplement), 15–21.
  3. Hambidge, K. M., Miller, L. V., Westcott, J. E., Sheng, X., & Krebs, N. F. (2010). Zinc bioavailability and homeostasis. American Journal of Clinical Nutrition, 91(5), 1478S-1483S.
  4. Lönnerdal, B. (2000). Dietary Factors Influencing Zinc Absorption. The Journal of Nutrition, 130(5), 1378S-1383S.
  5. Roohani, N., Hurrell, R., Kelishadi, R., & Schulin, R. (2013). Zinc and its importance for human health: An integrative review. Journal of Research in Medical Sciences, 18(2), 144–157.
  6. Wegmüller, R., Tay, F., Zeder, C., Brnić, M., & Hurrell, R. F. (2014). Zinc Absorption by Young Adults from Supplemental Zinc Citrate Is Comparable with That from Zinc Gluconate and Higher than from Zinc Oxide. The Journal of Nutrition, 144(2), 132–136.
  7. Willis, M. S., Monaghan, S. A., Miller, M. L., McKenna, R. W., Perkins, W. D., Levinson, B. S., … Kroft, S. H. (2005). Zinc-induced copper deficiency: A report of three cases initially recognized on bone marrow examination. American Journal of Clinical Pathology, 123(1), 125–131.
Avaliação dos Sais de Zinco

Tipos - 100%

Benefícios - 100%

Contras - 100%

Biodisponibilidade - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Alfredo Valdés
Alfredo Valdés
Especialista e treino de fisiopatologia metabólica e nos efeitos biomoleculares da alimentação e o exercício físico, com os seus artigos, vai levar-te no complexo mundo da nutrição desportiva e clínica, de forma simples e desde uma perspectiva crítica.
Confira também
Propriedades e funções do potassio
Potássio – O mineral que regula os batimentos do nosso coração

O potássio é um mineral essencial que encontra presente no corpo, e particularmente importante para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *