Boswellia Serrata: Tratamento Natural para as Dores nas Articulações

Boswellia Serrata: Tratamento Natural para as Dores nas Articulações

Hoje vamos falar sobre a Boswellia Serrata, uma planta tradicionalmente utilizada graças às suas propriedades anti-inflamatórias por ser um excelente recurso para reduzir as dores das articulações

O que é a Boswellia Serrata

Boswellia serrata, Olibano ou árvore do incenso da Índia é uma árvore de origem oriental, autóctone do país da Índia, caracteriza-se por apresentar propriedades interessantes para a saúde graças à sua concentração em ácidos boswélicos.

Árvores boswellia

Figura I. Árvores do tipo Boswellia com as respetivas resinas e extratos metanólicos (a); principais ácidos (b).

E é quando falamos das propriedades anti-inflamatórias e oncoprotetoras que fazemos referência aos ácidos boswélicos.

O que é o Ácido Boswélico

Os ácidos boswélicos são triterpenos penta cíclicos produzidos de forma natural pelas árvores do tipo Boswélia que apresentam efeitos positivos na prevenção e no tratamento de várias doenças.

Embora existam mais de 25 espécies do tipo Boswélia, a resina produzida pela espécie B. Serrata é aquela que parece apresentar uma maior densidade e variedade de ácidos boswélicos na sua composição.

Existem vários tipos de ácidos boswélicos com diferentes configurações triterpénicas, mas de todos, destaca a presença e os efeitos conhecidos de dois:

  1. O ácido 11-keto-β-boswélico (KBA)
  2. O ácido 3-O-acetil-11-keto-β-Boswélico (AKBA)
Estes ácidos são os responsáveis atribuídos dos maiores efeitos do consumo de Boswellia serrata.

Como funciona a Boswellia Serrata?

A Boswellia serrata carateriza-se por um perfil antiinflamatório marcado, que foi estudado pelo seu potencial para tratar quadros como a artrite reumatoide, a neuro inflamação e neuro degeneração, a asma, a arteriosclerose, doenças inflamatórias intestinais, hepáticas, renais, pulmonares, cardíacas…

O potencial teórico é incrível.

Os mecanismos de ação conhecidos e que parecem apresentar maior relevância por parte dos ácidos boswélicos são os seguintes:

  • A inibição da serina protease catepsina G.
  • A inibição da prostaglandina E sintetase de triglicéridos.

Artrose

Estes mecanismos foram observados em modelos in vitro e desconhecemos a sua relevância real, no entanto, o principal âmbito de ação parece ser o seguinte:

  • A inibição da enzima 5-Lipoxigenase.

Biossíntese leucotrienos

Figura II. Rota da biossíntese de leucotrienos e etapa do processo de inibição por parte do AKBA.

Esta inibição bloqueia a síntese de leucotrienos, moléculas fortemente associadas ao desenvolvimento de processos inflamatórios crónicos que podem afetar negativamente a saúde.

Por isso, o bloqueio desta rota pode enfrentar parte da origem bioquímica da inflamação.

De facto, este mecanismo foi ligado ao posterior bloqueio da ativação de fatores inflamatórios como a ICAM, TNF-a e IL-1b, que aumentam a expressão das metaloproteinases da matiz (MMPs), enzimas ligadas à evolução da osteoartrite devido à degradação das estruturas proteicas da cartilagem, e da matriz da cartilagem das articulações.

Degeneração cartilagem

Figura III. Diferentes alvos de ação farmacológica para atenuarem a degradação da cartilagem das articulações. O AKBA atua onde coloca “5-LOX”.

De facto, vários fármacos utilizados tradicionalmente para o tratamento de doenças nas articulações baseiam-se na inibição destas vias.

É por isso que a pesquisa sobre os efeitos da utilização da Boswellia Serrata se centrou essencialmente nestes efeitos sobre as articulações.

Mais nada? Não!

Os ácidos boswélicoscausam impacto sobre uma grande quantidade de alvos moleculares que modulam várias rotas de transcrição metabólica.

Objectivos accao molecular

Figura IV. Alvos de ação molecular dos ácidos boswélicos.

Só que os efeitos das suas ações sobre estes alvos são desconhecidos ou então não sabemos qual a sua extensão clínica real em modelos humanos.

A Boswellia serrata demonstrou potencial para enfrentar várias doenças, inclusive vários tipos de cancro.

Patologias

Figura V. Possíveis condições patológicas que são influenciadas positivamente pela utilização de extratos de Boswellia serrata.

Infelizmente, muitas vezes, os efeitos verificados in vitro não são aplicáveis a humanos por constituírem um dos primeiros passos do processo de validação da eficácia de uma substância.

Hierarquia evidencia

Figura VI. Hierarquia da evidência científica.

O que sabemos sobre os resultados em Humanos

Para já aquilo que sabemos com alguma precisão é o efeito benéfico que a Boswellia serrata possui (os seus ácidos boswélicos, principalmente o AKBA) sobre a melhoria da estrutura e a funcionalidade nas articulações em quadros patológicos de inflamação.

Ou seja, é um suplemento alimentar promissor para o controlo da inflamação das articulações.

Podemos comprovar em ensaios como os de Majeed et al. (2019) apresentam melhorias na estrutura das articulações, especialmente dos joelhos onde utilizamos técnicas de imagem por raios X e podemos verificar uma diminuição da calcificação das articulações e um restabelecimento notável do espaço da interseção óssea por regeneração da cartilagem das articulações.

Melhoramento cartilagem

Figura VII. Alterações no seguimento de 4 meses de utilização do extrato de Boswellia serrata em dois doentes com princípio de osteoartrite nos joelhos.

O que está de acordo com aquilo que foi verificado por Liu et al. (2017) na sua revisão sistemática com meta análise sobre as substâncias não farmacológicas mais benéficas para o tratamento da osteoartrite:

Tabela 1

Figura VIII. Efeitos da utilização de diferentes terapias não farmacológicas sobre a dor nas articulações à esquerda, indicam efeitos positivos. Destaca-se o extrato de Boswellia serrata.

Nos quais destaca significativamente o extrato de Boswellia serrata quer no domínio de avaliar a diminuição da dor nas articulações:

Tabela 2

Figura IX. Efeitos da utilização de diferentes terapias não farmacológicas sobre a função física, à esquerda, indicam efeitos positivos. Destaca-se o extrato de Boswellia serrata.

Quer quando se trata de melhorar a função motora, aumentando o ROM sem dor e aumentando a tensão mecânica tolerada pelas articulações.

Como podemos verificar, na meta análise, foram incluídos somente 3 estudos RCT em humanos, uma vez que a Boswellia serrata continua a ser um possível tratamento fitoterapêutico que despertou recentemente interesse.

Massage articular

Só que tudo aponta para o facto de seguir o caminho de outro extrato muito consolidado, o Extrato de Raiz de Cúrcuma. Se quiser saber mais informações sobre este, clique clique aqui.

Os mecanismos que apresenta são muito promissores sobre o tratamento de inflamações nas articulações, para já a evidência em humanos não fica atrás na hora de demonstrar os efeitos sugeridos em ensaios mecanicistas.

Accao anti inflamatoria

Figura X. Mecanismos de ação anti-inflamatória dos ácidos boswélicos presentes no extrato de Boswellia serrata que apresenta efeitos positivos sobre a proteção das articulações.

Por isso, para já, parece ser uma substância com atividade biológica clara e ação direta para a melhoria da dor e da inflamação nas articulações, com efeitos significativos e de dimensão clínica relevante.

Devo ter alguma coisa em consideração com a Boswellia Serrata?

Extraído da revisão de Liu et al. (2018):

Relativamente a cuidados ou potenciais lesões

  • Atualmente, não temos ainda informações suficientes disponíveis para avaliar de forma adequada a segurança dos extratos de Boswellia serrata.
  • Com base nas observações dos ensaios clínicos, os efeitos adversos são raros de forma consistente e não existem diferenças com o placebo.
  • Somente foram reportados em mais do que um estudo leves distúrbios gastrointestinais: diarreia, dor abdominal e náuseas.
  • O seu consumo continuado parece ser seguro durante mais de 6 meses.
  • Não temos ainda informação suficiente sobre a sua utilização em casos de gravidez ou amamentação.

Relativamente a interações

  • A sua ingestão juntamente com uma refeição normal ou com muita gordura pode aumentar a biodisponibilidade dos ácidos boswélicos.
  • A Boswellia parece ser um imune estimulador e, por isso, diminuir a eficácia dos fármacos imunosupressores.

Referências Bibliográficas

  1. Bertocchi, M., Isani, G., Medici, F., Andreani, G., Usca, I. T., Roncada, P., … Bernardini, C. (2018). Anti-inflammatory activity of Boswellia serrata extracts: An in vitro study on porcine aortic endothelial cells. Oxidative Medicine and Cellular Longevity, 2018, 2504305.
  2. Liu, X., Eyles, J., McLachlan, A. J., & Mobasheri, A. (2018). Which supplements can I recommend to my osteoarthritis patients? Rheumatology (United Kingdom), 57(suppl_4), iv75–iv87.
  3. Liu, X., Machado, G. C., Eyles, J. P., Ravi, V., & Hunter, D. J. (2018). Dietary supplements for treating osteoarthritis: A systematic review and meta-Analysis. British Journal of Sports Medicine, 52(3), 167–175.
  4. Majeed, M., Majeed, S., Narayanan, N. K., & Nagabhushanam, K. (2019). A pilot, randomized, double-blind, placebo-controlled trial to assess the safety and efficacy of a novel Boswellia serrata extract in the management of osteoarthritis of the knee. Phytotherapy Research, 33(5), 1457–1468.
  5. Merolla, G., & Cerciello, S. (2017). Conservative and Postoperative Coanalgesic Therapy for Upper Limb Tendinopathy Using Dietary Supplements. In R. R. Watson & S. B. T.-N. M. of P. in the A. P. Zibadi (Eds.), Nutritional Modulators of Pain in the Aging Population (pp. 235–243).
  6. Roy, N. K., Parama, D., Banik, K., Bordoloi, D., Devi, A. K., Thakur, K. K., … Kunnumakkara, A. B. (2019). An update on pharmacological potential of boswellic acids against chronic diseases. International Journal of Molecular Sciences, 20(17).

Entradas Relacionadas

  • Podes clicar em aquí para encontrar Os Melhores Suplementos para as Articulações!
  • El Harpagofito é um anti-inflamatório natural potente.
Análise da Boswellia Serrata

O que é - 100%

Propriedades - 100%

Formas de utilização - 100%

Posologia - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Alfredo Valdés
Alfredo Valdés
Especialista e treino de fisiopatologia metabólica e nos efeitos biomoleculares da alimentação e o exercício físico, com os seus artigos, vai levar-te no complexo mundo da nutrição desportiva e clínica, de forma simples e desde uma perspectiva crítica.
Confira também
tipos colagénio
Descobre os diferentes Tipos de Colagénio, Qual é o Melhor?

O colagénio é a proteína mais abundante no nosso organismo humano mais, sabias que existem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *