Até que ponto o Ácido D-Aspártico aumenta os níveis de Testosterona?

Até que ponto o Ácido D-Aspártico aumenta os níveis de Testosterona?

Todos conhecem os vários benefícios que o aumento dos níveis de testosterona tem, e esse facto não é apenas sentido entre os assíduos do culturismo e do fitness, mas também para todas as pessoas que apresentem uma patologia ao nível hormonal.

Pode ser que, se alguma vez te perguntaram acerca deste suplemento, não tenhas sabido responder mais além de que é bom para aumentar a massa muscular e como apoio para acelerar a recuperação muscular depois dos treinos. O certo é que esta substância é muito mais do que isso e convém estar informado sobre as propriedades de um dos aminoácidos chave para o organismo.

Aumentar a massa muscular

Por sorte, o Ácido D-Aspártico (DAA) contribui para elevar os níveis de testosterona com o extra adicional de o fazer de um modo completamente natural. É disso mesmo que queremos falar neste post.

Qual é a relação entre o Ácido Aspártico e a Testosterona?

Antes de mais, é interessante que estejas ciente que o  uso do Ácido Aspártico nos desportistas é habitual, atendendo ao seu vínculo direto com a produção de testosterona por parte do organismo e, por último, com o crescimento muscular.

Não é por acaso que a testosterona é a hormona responsável da determinação das características masculinas, como sejam, por exemplo, o aumento da força e do volume muscular. Também urge destacar o modo positivo em como influi sobre o estado de ânimo, causando maior sensação de bem-estar e qualidade de vida sexual, que deriva, entre outros fatores, do aumento da líbido.

De facto, manter níveis normais de testosterona está relacionado diretamente com:

  • Um melhor estado anímico
  • A potenciação da manutenção e do ganho de massa muscular
  • A melhoria do metabolismo das gorduras
  • O fomento do apetite sexual
  • A melhoria na espermatogénese, ou o aumento da mobilidade, qualidade e volume dos espermatozóides
  • O fortalecimento da densidade óssea

Com o passar dos anos, os níveis de testosterona no corpo começam a diminuir de forma natural. O resultado? Um possível efeito negativo na saúde sexual, na energia e no estado anímico.

Podes encontrar Ácido Aspártico em duas formas, que se denominam isómeros naturais. Assim, temos que diferenciar: o Ácido Aspártico D e o Ácido L-aspártico. Dadas as características do nosso blog, vamos centrar-nos na forma de D-Aspártico que está a causar furor como suplemento.

E quem pode beneficiar principalmente o Ácido D-Aspártico? Os homens com baixos níveis de testosterona. Ao fim e ao cabo, revelou-se uma substância muito segura e eficaz para elevar os níveis de testosterona de forma natural até 42%. É um dado que surpreende, tendo em consideração de que estamos perante um suplemento 100% natural e com incríveis efeitos para a saúde.

É verdade que aumenta a Testosterona?

Sim, com efeito. Conforme supra referimos, o corpo humano utiliza o DAA como apoio para a síntese de testosterona. Este aminoácido aloja-se principalmente na glândula pituitária, no hipotálamo e nos testículos.

Parece que tal sucede graças a uma reação em cadeia cujo primeiro elo principal é a atividade de sinalização de Ácido D-Aspártico na região frontal da glândula pituitária.

O DAA é necessário como meio de transporte do colesterol às mitocôndrias das células de Leydig, com vista à produção de testosterona.

Outra das aplicações do Ácido D- Aspártico por parte dos homens é como suplemento “anti-aging, com a missão de restaurar os baixos níveis de testosterona provocados pelo envelhecimento.

Como atua o DAA na produção de Testosterona?

O Ácido D- Aspártico exerce funções de um neurotransmissor especializado naquelas partes do sistema nervoso participativas na produção de hormonas. Isto conduz a quê? A um aumento da produção de hormona libertadora de gonadotropina (GnRH).

Com esta ação, aumenta-se a síntese e libertação da hormona luteinizante (LH), dos fatores de libertação de prolactina (PRF) e da hormona foliculoestimulante (FSH). Hormonas, todas elas que se fazem transportar até aos testículos através da via hipotalâmico-pituitária-testicular.

Depois de chegarem aos testículos, tanto a LH como a FSH exercem no interior das células de Leydig (células dentro dos testículos especializadas na produção de testosterona) para acomodar a síntese desta hormona.

Como atua o DAA na produção de Testosterona

A hormona luteinizante (LH) atua como “mensageiro químico”, viajando desde a glândula pituitária até aos testículos, lugar onde se “ativa” a produção de testosterona.

O Ácido D-Aspártico desempenha um papel essencial na produção e secreção de hormonas, assim como no funcionamento do sistema nervoso. Como extra, há que acrescentar a melhoria da produção de LH, tendo-se demonstrado também a sua capacidade para exercer um efeito estimulante sobre a hormona do crescimento (GH).

O que dizem os estudos a este respeito?

Este estudo demonstra como através da suplementação com Ácido D-Aspártico se confirma a relação entre o citado aminoácido e a regulação e sinalização hormonal sobre a hormona luteinizante e a testosterona.

Por tal razão, podemos afirmar que o Ácido Aspártico tem a capacidade de melhorar os níveis de testosterona em homens com baixos níveis basais.

Estudo do ácido aspártico

Elevar a Testosterona é possível

Um estudo realizado em “Biologia Reprodutiva e Endocrinologia” apresentou como resultado que homens com idades compreendidas entre os 27 e os 37 anos, que receberam uma suplementação diária de 3,12 g de Ácido D-Aspártico durante 12 dias consecutivos, experimentaram um aumento em redor a um 40% em testosterona livre.

Passados três dias sem a tomar, os seus níveis de testosterona livre tinham sido reduzidos em 10%. Deste facto se deduziu que a testosterona é uma substância que se vai acumulando no corpo, para começar depois a diminuir lentamente depois de que se detenha a suplementação.

Os peritos consideram que isso supõe uma vantagem para o atleta, uma vez que o estudo sugere que os níveis hormonais vão voltando ao seu nível normal de forma gradual e não de uma forma drástica.

Pensa-se que, da perspectiva do treino, esta circunstância permite ao organismo criar os compostos que ajudam a aumentar o crescimento muscular, a potência, a força e a energia. E mais – os resultados deste estudo revestem especial importância para quem desejar melhorar o seu potencial desportivo, assim como o seu estado físico, a partir do crescimento de tecidos magros.

Outro estudo, no qual os participantes eram homens que apresentavam excesso de peso e que foram suplementados com DAA + vitamina D3, trouxeram resultados díspares. Ainda que em alguns não se produziu um aumento hormonal, pôde comprovar-se que os que apresentaram baixos níveis de testosterona experimentaram um aumento de 20%.

De vez em quando não se produzem resultados

No entanto, e em contraposição ao que dissemos, no seguinte estudo não se observaram efeitos ao nível de resultados. Ao contrário do estudo que durou 12 dias, à razão de uma dose de DAA de 3,12 g, no qual se apreciaram alterações positivas, as diferenças residem em que os participantes deste estudo começaram com níveis de testosterona mais elevados, em virtude das medições iniciais.

Aumento da fertilidade, uma vantagem adicional

O estudo que se segue contou com 60 participantes, cujas idades oscilaram entre os 18 e os 44 anos, e no qual se constatou que uma suplementação diária de 2,66 g de Ácido D-Aspártico durante 90 dias em homens infertéis foi capaz de aumentar as concentrações de testosterona no soro (30-60%), com um aumento da contagem seminal, cujo aumento oscilou de 60 a 100% e da motilidade seminal numa proporção semelhante.

Este grupo de homens infertéis, que foram suplementados com DAA, conseguiu maior fertilidade, pois mais tarde concluiu-se pela obtenção de um êxito de 26,6% das conceções.

Consulta o Top 10 de Alimentos para Aumentar a Testosterona.

Qual é a dose diária recomendada?

Como sucede com qualquer outro suplemento, é essencial que respeites a dose recomendada pelos especialistas no momento de começar a tomar Ácido D-Aspártico.

Em concreto, a dose recomendada de DAA oscila entre 2000 a 3000 mg/dia.

Existem numerosos estudos, cada um dos quais revelam diversos protocolos de suplementação que coincidem numa dose de 3000 mg de Ácido D-Aspártico durante 12 dias consecutivos, seguidos de uma semana de descanso, é a forma mais eficiente de tomar este suplemento.

Não obstante, outros estudos apontam na direção de que uma dose de 2000 mg diárias tomada de maneira contínua, sem realizar descansos, não produziu qualquer tipo de efeito secundário. Obviamente, existem fatores que afetam as doses ideais, incluindo a dieta, estado de hidratação, nível de atividade, sexo, idade ou estado de saúde.

Dose diária recomendada

Este aminoácido tem efeitos secundários?

Uma vez que o Ácido D-Aspártico é uma substância que o corpo produz, pode pensar-se que existe uma tolerância positiva a este aminoácido. Todavia, recomenda-se não ultrapassar as quantidades recomendadas, dado que não existe apenas evidências relacionadas com doses demasiado elevadas.

Em alguns casos, a suplementação com DAA pode provocar dores de cabeça, retenção de líquidos ou náuseas, de modo temporarário e de carácter leve.

Os resultados de alguns dos estudos revelam que, depois de 90 dias de suplementação, não se observam resultados de análises praticadas valores alterados ou sinais de que o Ácido D-Aspártico possa produzir algum efeito não desejado. No entanto, fazem falta mais estudos para que possamos ter uma informação mais concludente sobre este assunto.

Em qualquer caso e atendendo à falta de informação, não é recomendável que pessoas com infeções hepáticas ou renais, assim como mulheres grávidas, ingiram demasiadas quantidades de um aminoácido sobre o qual ainda existem muitas investigações em curso. Do mesmo modo, deve-se ter cuidado com a sua ingestão da parte de pessoas com casos de epilepsias, lesões cerebrais ou isquémicas, assim como a doença de Alzheimer.

Na HSN recomendamos-te ir a uma consulta médica ante de começar a ingestão de qualquer suplemento.

Consulta aqui as combinações mais sinérgicas

Como parte integrante dos Suplementos Anabólicos Naturais que é o Ácido D-Aspártico, podes combiná-lo com outro tipo de produto.

Deixamos-te uma pequena lista daqueles com os que atua em combinação sinérgica!

  • Epicatequina
  • ZMA
  • Testofen
  • Ashwagandha

Comprar o melhor Ácido Aspártico

Aceitas uma sugestão? Podes comprar Ácido Aspártico D em formato em pó, sem excipientes e com 100% de produto puro, na Raw Series Series. Toma-o na tua bebida de pré-treino e assim vais potenciar o ambiente hormonal, induzido pela própria estimulação da atividade física.

Ácido Aspártico D é um produto de grande qualidade e de fácil dissolução, cujos resultados são espetaculares se combinares com um adequado programa de treino e de nutrição. E ao preço mais competitivo do mercado!

Em consonância com o exposto, poucas dúvidas existem sobre a estreita relação existente entre o Ácido Aspártico D e o aumento de testosterona. Se continuas com dúvidas acerca desta questão, podes consultar-nos as vezes que quiseres. Esperamos por ti!

Avaliação de Ácido D-Aspártico

Relação Qualidade/Preço - 100%

Dissolução - 100%

Fácil de Tomar - 100%

Resultados - 100%

100%

HSN Evaluação: 4.65 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Melanie Ramos
Melanie Ramos
A través do Blog da HSN, Melanie Ramos expõe os conhecimentos e os conteúdos mais actuais, ao alcance dos leitores que procuram aprender.
Confira também
suplementos naturais potencia sexual
Suplementos naturais para aumentar a potência sexual

No há dúvidas que as relações sexuais são a melhor “terapia” para qualquer ser humano, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *