Dieta Budista: quais são os seus Benefícios e Limitações?

Dieta Budista: quais são os seus Benefícios e Limitações?

Hoje vamos analisar a dieta budista juntamente com o seu estilo de vida numa tentativa de levar o melhor dos seus costumes para o ocidente e, porque não, salientar os inconvenientes do seu estilo de vida.

Gostamos dos budistas. Esse aspeto simpático e um sorriso estampado no rosto 24 horas por dia e 7 dias por semana fazem com que simpatizemos com eles.

Se existe alguma tradição religiosa com a qual me possa sentir de alguma forma identificado, esta é o budismo.

Um pouco de História

O budismo surgiu no século V AC algures na Índia oriental.

O seu fundador, Siddhartha Gautama o qual se transformou no próprio Buda (o iluminado), a quem centenas de milhares de pessoas em todo o mundo seguiriam mais tarde para acabar com o sofrimento das suas vidas.

Buda

Estilo de Vida

O estilo de vida budista foi descrito por diferentes normas de ética.

A diferença entre uma norma e um mandamento é que o segundo é obrigatório e o primeiro é recomendado (ponto positivo para os nossos amigos budistas).

Estas normas são as seguintes:

  1. Não tirarás a vida.
  2. Não tomarás aquilo que não te foi dado (não roubarás).
  3. Não terás um mau comportamento sexual.
  4. Não mentirás.
  5. Não consumirás substâncias tóxicas que turvem a mente.
Pronto, agora vamos àquilo que nos interessa: o estilo de vida. A primeira e última norma condicionam bastante a sua dieta, como iremos ver agora.

Em que é que consiste a Dieta Budista?

A dieta budista é lacto-vegetariana.

Ou seja, inclui laticínios e derivados embora coloquem de parte outros produtos de origem animal.

Isto implica o cumprimento da primeira norma (não tirarás a vida). Embora existam escolas budistas que são mais flexíveis e comam animais desde que o animal não tenha sido sacrificado exclusivamente para essa pessoa.

Excluem totalmente o consumo de álcool e outros produtos tóxicos, uma vez que “turvam a mente” e poderão levar ao incumprimento de outras normas (outro pequeno ponto a favor para os nossos amigos sorridentes).

Como tal, uma dieta baseada em vegetais é uma dieta saudável desde que inclua uma quantidade de proteína adequada e coloquemos de parte carências em alguns nutrientes importantes (ver mais à frente).

Alimentos

Jejum e meditação

Ultimamente toda a gente fala do jejum intermitente, embora os budistas o façam há cerca de 2500 anos sem que ninguém lhes tenha explicado o que é a autofagia.

Eles não querem usar biquíni nem perder esses 2 % de gordura corporal a mais. Não, eles praticam o jejum para fortalecer o autocontrolo e a vontade, o que me parece bastante louvável.

Praticam o jejum desde as 12 horas do meio dia até ao amanhecer do dia seguinte, o que constitui hoje em dia o chamado protocolo 18: 6, muito exigente se não tiveres feito um progresso adequado.

Além disso, limitam o consumo nas horas de Sol, o que à luz da evidência recente, pode ser benéfico para manter os nossos biorritmos saudáveis.

Meditação

Outras práticas

O budismo não pode ser entendido sem falar em meditação, compaixão ou empatia.

Estas práticas tão intrínsecas à escola budista, também demostraram à comunidade científica que apresentam vários benefícios para a saúde:

  • Maior concentração
  • Maior sensação subjetiva de bem-estar
  • Diminuição do stress

E muitas outras que se for do vosso interesse, poderei abordar numa outra publicação.

Budismo

Vamos agora falar dos pontos fortes e menos fortes do estilo de vida budista.

Benefícios da Dieta Budista

Dieta baseada em vegetais

É uma dieta saudável se for bem abordada, e demostrou reduzir a ocorrência de várias doenças crónicas (entre elas a doença cardiovascular, número 1 em vítimas mortais).

O consumo abundante de polifenóis, antioxidantes, fibra, vitaminas e minerais juntamente com um consumo energético equilibrado fazem dela uma opção interessante aqui no ocidente.

É uma dieta que elimina o álcool de forma permanente. O que representa sempre um ponto a favor de qualquer orientação nutricional.

Vegetais

Jejum intermitente

Como referi, os budistas são mestres do jejum intermitente, e beneficiam (sem saber) de todos os benefícios do mesmo.

É curioso como todas as tradições incluíram alguma prática de jejum.

Certamente que a paz de espírito (resultante do aumento temporal na concentração de corpos cetónicos) se encontra relacionada com o facto de “estar com Deus”.

Inclui outras práticas não-dietéticas que também são benéficas para a saúde, como a meditação.

Limitações da Dieta Budista

Mas nem tudo é perfeito. Vejamos:

Carências de nutrientes

Sabemos que determinados povos vegans ou vegetarianos têm níveis inferiores de nutrientes essenciais como a vitamina B12, ferro, vitamina D, Zinco ou ómega-3, todos eles presentes nas quantidades certas em alimentos de origem animal.

Sim, com uma planificação adequada (e suplementação) isto pode ser corrigido, embora esta planificação adequada nem sempre seja suficiente (1).

Consumo de proteína

Como qualquer dieta vegetariana, sem uma planificação adequada, chegar a uma quantidade de proteína adequada para prevenir (ou tratar) a sarcopénia pode ser difícil.

Envelhecer de forma saudável passa por manter uma massa muscular quantitativa e qualitativamente saudável (2).

Falta de exercício de força

Quando referimos o budismo ou o seu estilo de vida, poucas vezes falamos de exercício físico.

Sim, subir escadas até ao mosteiro pode ser interessante, mas incluir exercícios de força entre sessões e sessões de meditação pode ser ainda melhor.

Conclusões

Sendo inteligentes, teremos muito a aprender com a comunidade budista, e não apenas sobre a sua dieta.

A sua atitude em relação à vida, o seu respeito pelos outros e o mais importante, a sua boa gestão e prevenção do stress, são ferramentas que no ocidente são absolutamente necessárias.

Encontramo-nos na próxima publicação e vamos continuar a trabalhar!

Fontes Bibliográficas

  1. Lee Y, Krawinkel M. Body composition and nutrient intake of Buddhist vegetarians. Asia Pac J Clin Nutr. 2009.
  2. Craig WJ. Nutrition concerns and health effects of vegetarian diets. Nutrition in Clinical Practice. 2010.

Entradas Relacionadas

  • Queres saber o que pensam os médicos sobre o Jejum Intermitente? Faz clica aqui.
  • Apresentamos várias dicas para “morrer jovem o mais tarde possível”. Vai a este link.
Avaliação da Dieta Budista

Em que é que consiste - 100%

Benefícios - 100%

Limitações - 100%

Conclusões - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Borja Bandera
Borja Bandera
Borja Bandera é um jovem médico dedicado as áreas de nutrição, exercício e metabolismo, que concilia a sua atividade clínica junto a sua vocação divulgativa e investigadora.
Confira também
Dieta cetogénica
Dieta Cetogénica para Melhorar a Função Renal

Está-se neste momento a estudar sobre se a Dieta Cetogénica é uma boa opção para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *