Em Que é Que Consiste a Dieta Sirtfood?

Em Que é Que Consiste a Dieta Sirtfood?

A dieta das sirtuinas ou dieta “Sirtfood” foi uma das últimas tendências a surgir no panorama nutricional.

Ficou famosa por ser seguida por várias celebridades na Europa e EUA, e inclui alimentos como o vinho e o chocolate.

Hoje vamos tentar fazer uma análise crítica desta dieta, entendendo os seus pontos fortes e fracos.

O que é a Dieta Sirtfood?

A base teórica da dieta baseia-se nas sirtuinas, proteínas muito interessantes que foi possível relacionar com processos como:

  • Envelhecimento;
  • Função cerebral;
  • Imunosenescência;
  • Controlo do ciclo celular da inflamação; ou
  • Esperança de vida (1).
Efetivamente, sobre as sirtuinas, a comunidade científica começa agora a entender como algumas alterações ao estilo de vida (como implementar o jejum intermitente ou uma dieta hipocalórica) poderão promover a expressão destas proteínas (2).

Criadores

Os seus criadores (Aidan Goggins e Glen Matten) tentam promover o consumo de alimentos que, teoricamente, estimulariam a produção endógena de sirtuinas, que desenvolvem os benefícios para a saúde da intervenção.

E digo teoricamente porque, evidentemente, não existem estudos sérios que comprovem a concentração de sirtuinas de alguém que esteja a realizar uma dieta sirtfood relativamente à realização de uma dieta convencional (seria um estudo bonito e fácil de realizar, evidentemente).

Alimentos presentes na Dieta Sirtfoods

De qualquer forma, os alimentos que “estimulam as sirtuinas” são os seguintes:

  • Morangos
  • Vinho tinto
  • Couve
  • Cebola
  • Chocolate preto
  • Curcuma
  • Chá matcha
  • Nozes
  • Rúcula
  • Tâmaras Medjool
  • Amoras
  • Café
  • Romãs
  • Alcaparras
  • Beterraba
  • Maçã verde

Alimentos sirtfood

E mais alguns. Também inclui um elemento fundamental: a restrição calórica.

Como realizar a Dieta Sirtfood?

Então, fá-la de forma rigorosa e seguindo este protocolo:

Primeira semana

Divide-se em:

Três primeiros dias

Com sumos de couve, rúcula, salsa, aipo, maçã verde ou sumo de limão juntamente com três chávenas de chá matcha por dia e 1 refeição rica nos alimentos “sirt” previamente mencionados.

Sumos

No total, isto constitui cerca de 1000 kcal por dia.

Do terceiro ao sétimo dia

Permite até duas refeições por dia (uau!) e incluem (menos mal) carnes magras, azeite, fruta, legumes, trigo sarraceno e pão integral.

O que constitui cerca de 1500 kcal no total.

Segunda fase

Em princípio não predefine a quantidade de energia e a única orientação a ter em conta é dar prioridade aos alimentos “sirt”, durando mais duas semanas.

Perda peso

Agora, vamos ver os prós e contras.

Pontos Negativos da Dieta Stirfood

Elevado défice calórico

A dieta está a vender um défice calórico brutal a preço de ouro com (excelentes) estratégias de marketing.

Os 80 % do benefício desta dieta reside no défice calórico criado na primeira semana, que é bastante agressivo.

Além disso, a maioria dos alimentos referidos na lista “sirt” são também hipocalóricos (com algumas exceções como as nozes ou o chocolate preto), pelo que não será muito difícil (a curto prazo) manter este défice de energia.

Vinho chocolate

A proteína brilha pela sua ausência

Embora exista a indicação de poder comer carnes magras, realmente não apresenta qualquer orientação relativamente a quantidades ou distribuição isonitrogenadas das refeições.

E sabemos que a longo prazo, um envelhecimento saudável TAMBÉM passa por evitar a sarcopénia e sarcodinapénia com uma ingestão adequada de proteína.

Preço

O preço dos alimentos apresentados geralmente é elevado.

A intervenção que os autores vendem também tem um preço elevado (por algum motivo é uma dieta de celebridades).

Conclusão: quem mais precisa de melhorar a sua saúde provavelmente não consegue pagar uma intervenção destas.

Pode consumir álcool

Inclui o vinho…

O álcool não deve ser recomendado em qualquer dieta que seja considerada saudável.

Utilização das celebridades para a vender

Vendem a imagem de sucesso de celebridades (como a Adéle) e levam a população a acreditar que é possível reproduzir o sucesso destas personalidades facilmente.

Adele

Quando a verdade é que esta melhoria na saúde não é consequência somente da ingestão de sumos verdes e alimentos “sirtfood”, como também de um plano de treino exigente e algumas condições de vida que permitem que estas mudanças ocorram (e onde o dinheiro tem uma palavra a dizer).

Fraco rigor científico

Não existem provas científicas que sustentem aquilo que é prometido com esta dieta.

As sirtuinas existem dentro das tuas células, embora não saibamos realmente se estes alimentos (independentemente da restrição calórica) as estimulam.

Caso não seja assim, o benefício da dieta é destinado somente pela restrição calórica, e para isto não é preciso gastar milhares de euros.

O que é que tem de bom a Dieta Sirtfood?

Mas a dieta também tem alguns pontos positivos a destacar. Vamos a isso:

Alimentos saudáveis

Realmente, para dizer a verdade, a grande maioria dos alimentos apresentados como “sirt” são perfeitamente saudáveis e recomendáveis em qualquer dieta.

São alimentos ricos em compostos bioativos como os polifenóis, com uma densidade energética elevada e que adicionam outros elementos como a fibra solúvel.

Fresas

Definitivamente: são alimentos muito interessantes e o seu consumo com frequência não te vai fazer absolutamente mal nenhum.

Fase hipocalórica relativamente curta

Aquela que vai reduzir a perda de massa muscular e as adaptações metabólicas secundárias ao défice calórico agressivo.

Um período de défice calórico reduzido no tempo é benéfico para a maioria da população.

Recordemos então que o défice calórico demonstrou aumentar a esperança de vida, diminuir o aparecimento de doenças crónicas e estimular processos como a autofagia. Se quiseres saber mais sobre este conceito visita este link.

Variedade alimentos

Gastronomicamente parece-me uma das poucas dietas que incluem uma grande variedade de alimentos.

Conclusões

Definitivamente, a dieta sirtfood parte de uma premissa interessante: aumentar a quantidade de sirtuinas, moléculas das quais muito se tem falado ultimamente.

Mas, infelizmente, isto não tem hoje em dia prova que o sustente.

No entanto, os alimentos incluídos parecem absolutamente saudáveis e muitos demostraram benefícios tangíveis para a saúde, pelo que incluí-los na dieta pode ser benéfico.

Ah, e para terminar, se quiseres melhorar a tua saúde não te esqueças de que a dieta é somente uma parte, e por vezes não é a mais importante.

A melhoria dos teus hábitos, um plano de treino dirigido e melhorar elementos como o descanso ou os teus níveis de stress, aos poucos, conseguirá que te aproximes dos teus objetivos.

Encontramo-nos na próxima publicação amigos. Continuem a trabalhar!

Referências Bibliográficas

  1. Libert S, Guarente L. Metabolic and Neuropsychiatric Effects of Calorie Restriction and Sirtuins. Annu Rev Physiol. 2013.
  2. Giblin W, Skinner ME, Lombard DB. Sirtuins: Guardians of mammalian healthspan. Trends in Genetics. 2014.

Entradas Relacionadas

  • Evita as Dietas Milagrosas!, uma vez que podem implicar alguns riscos para a tua saúde… continuar a ler.
  • Vamos contar-te 3 Passos Simples para Reduzir Gordura. Haz clica aqui.
Análise Dieta Sirtfood

Em que é que consiste - 100%

Alimentos - 100%

Pontos positivos e negativos - 100%

Conclusões - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Borja Bandera
Borja Bandera
Borja Bandera é um jovem médico dedicado as áreas de nutrição, exercício e metabolismo, que concilia a sua atividade clínica junto a sua vocação divulgativa e investigadora.
Confira também
Dieta cetogénica
Dieta Cetogénica para Melhorar a Função Renal

Está-se neste momento a estudar sobre se a Dieta Cetogénica é uma boa opção para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *