Exercício e Autofagia

Exercício e Autofagia

Qual é a relação entre Exercício e Autofagia? É mais potente e eficaz o Exercício em face do Jejum Intermitente para potenciar a Autofagia?.

Enfrentar-se ao Envelhecimento

O envelhecimento conduz a uma série de alterações moleculares e celulares, que ao fim e ao cabo são consequência direta do declínio fisiológico que todos experimentamos mais tarde ou mais cedo.

Dito declínio, inevitável, incomoda-nos.

Culturalmente não aceitamos muito bem o envelhecimento e a morte. Perspetiva não partilhada por outras muitas culturas.

Antiaging

Nos últimos anos, a tendência a exacerbar tudo o que é “antiaging” foi indo em aumento.
Procedimentos estéticos de todo o tipo, terapias físicas, dietas do mais estapafúrdio possível e outras técnicas com evidências mais que questionáveis.

Mas se há uma palavra que ganhou força e que se está a usar como guia do movimento antiaging, esta é: autofagia.

O que é a Autofagia?

A autofagia é um processo celular ubíquo (presente na maioria de células) e necessário para a vida.

Isto é, sem autofagia não estaríamos vivos ou duraríamos poucos anos.

Isto já nos põe de sobre-aviso a respeito das perspetivas dicotómicas “a preto e branco” que vemos em redes continuamente: …“Isto anula a autofagia”; “Este outro maximiza a autofagia”…

A autofagia entende-se melhor com semelhanças, porque tratar de entendê-la ao nível molecular é algo bastante complicado até para peritos sobre este tema.

Reciclagem celular

Trata-se de um processo de reciclagem celular daquilo que não serve.

Já falámos neste blog sobre a Autofagia, em concreto, da relação que existe com o IF ou Jejum Intermitente. Recomendamos que dês uma vista de olhos em este artigo.

Semelhante para entender melhor

  • Na tua casa geras lixo.
  • Lixo como o que existe e há que fazer alguma coisa (deitá-la fora), caso contrário irá acumular-se.
  • Um pouco de lixo acumulado não origina nenhum problema.
  • Mas, conforme a quantidade de lixo aumenta, a funcionalidade do resto da casa vai diminuindo.
  • Por outras palavras, esse lixo (parte não funcional da casa) está a começar a interferir com a funcionalidade do resto de estruturas saudáveis do teu lar (tudo o que não é lixo).

A nível celular

O mesmo se passa na célula.

A célula é um organismo vivo, que trabalha continuamente a favor de um sistema maior. Esse trabalho, além de necessidade de energia, gera resíduos.

Célula

Mas uma célula saudável tem os seus mecanismos para se desfazer desses resíduos.

Em termos celulares, os resíduos são proteínas mal dobradas e que não funcionam, organelas ou restos das mesmas que já de pouco servem, e outras moléculas que, mais que contribuir, estão a mais.

O que são os Autofagossomas?

Toda esta amálgama inútil envolve membranas, formando os conhecidos como autofagossomas.

Imagina um saco do supermercado com lixo lá dentro. Pois estamos a falar de uma coisa parecida.

Para eliminar o lixo, temos um modo muito original de o fazer: existem umas organelas chamadas lisossomas, carregadas de conteúdo ácido, que se fundem com os autofagossomas, vertendo o conteúdo ácido dentro do mesmo.

Esta é a bonita forma que tem a célula de “deitar fora o lixo”.

Dito isto, uma autofagia saudável (é o modo por defeito da célula) irá encarregar-se de manter a funcionalidade celular sempre que seja possível.

Organismo

Tipo de Autofagia

Como já antes tinha referido, entender a autofagia não é coisa simples. Pese o facto de que nos referimos a ela com um termo unívoco, realmente a autofagia divide-se em:

  • Macro-autofagia
  • Micro-autofagia
  • Autofagia mediada por “velas”
Uma autofagia limitada ocasionará um envelhecimento prematuro e uma menor funcionalidade.

A pergunta é: podemos interferir ou modificar o processo de autofagia?

Envelhecimento e Exercício Físico

Como já referimos, e ao nível celular, o envelhecimento caracteriza-se por um acumular de proteínas mal dobradas e organelas celulares deterioradas que aumentam o risco de morte celular e alteração da homeostase no organismo.

Exércicio físico

Exercício físico.
O exercício físico define-se, segundo Caspersen, como aquela atividade física planificada, estruturada e regular, realizada com o objetivo de melhorar a forma física (fitness). Esteve presente durante toda a evolução e moldou a nossa fisiologia, como não me canso de explicar.

O que acontece quando não se faz exercício suficiente?

O défice de exercício físico está a colocar de manifesto um envelhecimento nada saudável.

Vivemos o paradoxo de que, apesar de se viver mais, cada vez chegamos pior à fase de adultos mais velhos. Isto só se pode reverter mediante exercício físico.

Mas a nossa sociedade vê o exercício físico, depois dos 50 anos, como algo desnecessário ou inclusivamente perigoso.

Exercício senior

Eu diria que depois dos 50 é ainda mais necessário!

Tendemos a fragilizar as pessoas mais velhas, a tratá-as como se fossem de cristal, e este facto apenas vai fazer com que sejam mais frágeis.

É curioso, mas na maioria de clínicas antiaging o exercício fica relegado para segundo plano, quando realmente é a única intervenção antiaging que está sobejamente demonstrada.

E, claro, não podemos falar de efeitos anti-envelhecimento sobre o corpo sem mencionar o seu efeito sobre o sistema nervoso.

Efeitos neuroprotetores do exercício

Em ratos, os efeitos neuroprotetores do exercício físico são muitos:

  • Maior neurogénese
  • Menor perda de neurónios dopaminérgicos
  • Maior capacidade antioxidante
  • Maior AUTOFAGIA.

Jejum Intermitente ou Exercício para potenciar a Autofagia?

Toda a gente fala do jejum intermitente para maximizar a autofagia e deter o envelhecimento, mas e se te dissesse que o exercício a maximiza ainda mais?.

8 semanas de passadeira em ratos aumenta consideravelmente a proteina Beclina 1 relacionada com níveis de autofagia (Andreotti et al., 2020).

O que é que necessita a célula para estimular a autofagia? Um sinal de défice de energia.

A célula começa a “reciclar” elementos celulares defeituosos quando necessita energia, ou pensa que poderíamos estar perante uma situação de alta exigência energética.

Exercicio autofagia

Talvez aqui o que é importante, é entender o termo “reciclagem celular”.

A célula não malgasta o lixo, reutiliza-o para dar lugar a outras estruturas funcionais.

Os aminoácidos, por exemplo, de uma proteína defeituosa, podem ser utilizados para criar outra plenamente funcional.

E como sabe a célula que estamos perante uma situação de défice de energia?

Ratio ATP/AMP

Ao reduzir a ratio ATP/AMP na célula com o exercício físico activa-se a famosa proteina quinase (ou kinase) AMPK.

  • Quando a célula ativa AMPK, está a ativar um programa que busca a todo o custo gerar energia. As caldeiras (mitocôndrias) da célula vão acender-se ao máximo (metabolismo oxidativo).
  • AMPK inibe desta forma a mTOR: essa situação, AMPK ativa e o mTOR inativo, aumenta as proteínas relacionadas com a autofagia (algo que também acontece em jejum).
O objetivo? O mesmo: obter recursos energéticos e estruturais para que a célula continue em frente.

Tipo de Exercício para maior Autofagia

O tipo de exercício que façamos determinará a maior ou menor ativação da autofagia e é espectável que o exercício cardiovascular, que gera um maior gasto energético, ative mais os processos de autofagia que o exercício de força.

Exercício força

Isso não quer dizer que este último não tenha impacto sobre autofagia.

Além do mais, sabemos por estudos com animais (em humanos estudar a autofagia não é fácil, por muitos motivos diferentes) que o exercício físico:

  • Aumenta a quantidade de lisossomas (esses saquinhos carregados de ácido que servem para desintegrar elementos não funcionais)
  • Melhora a dinâmica mitocondrial e a mitofagia (as mitocôndrias também têm que ser “recicladas” quando chegar o momento)
  • Aumentam outras proteínas relacionadas com a autofagia
Se quiseres conhecer mais benefícios do exercício cardiovascular, visita este post.

Conclusões

Toda a gente fala do jejum intermitente para maximizar a autofagia.

Isto não é de todo descabido, uma vez que jejuar durante um número de horas determinado gera adaptações celulares que promovem a famosa reciclagem celular.

O que não sabemos é em que medida isto acontece. Também não sabemos a partir de que hora a potenciação da autofagia acontece, nem a partir da qual se estabiliza.

Não sabemos se os estudos em animais com jejum intermitente são aplicáveis a humanos.

Não sabemos muito e sabemos pouco.

O que sim sabemos é que o exercício físico gera as mesmas adaptações que o jejum intermitente a muitos níveis, e que parte dos benefícios “antiaging” que confere estão relacionados com processos celulares, como a autofagia.

Sem dúvida, um campo brutal no que investigar na próxima década.

Vamos manter-vos informados. Um forte abraço e a vamos continuar a treinar!

Bibliografia

  1. Andreotti, D. Z., Silva, J. do N., Matumoto, A. M., Orellana, A. M., de Mello, P. S., & Kawamoto, E. M. (2020). Effects of Physical Exercise on Autophagy and Apoptosis in Aged Brain: Human and Animal Studies. Frontiers in Nutrition, 7, 94.

Entradas Relacionadas

  • Qual é a relação entre o Exercício e a Epigenética? Contamos-te tudo em este link.
  • Queres conhecer a opinião de um médico sobre o Jejum Intermitente? Faz click aqui.
  • Tudo o que necessitas saber sobre AMPK e mTOR em link Post.
Avaliação Exercício e Autofagia

O que é a Autofagia - 100%

Jejum ou Exercício para maior Autofagia - 100%

Tipo de Exercício - 100%

Conclusões - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Borja Bandera
Borja Bandera
Borja Bandera é um jovem médico dedicado as áreas de nutrição, exercício e metabolismo, que concilia a sua atividade clínica junto a sua vocação divulgativa e investigadora.
Confira também
Volume máximo recuperavel
O que é o Volume Máximo Recuperável?

O Volume Máximo Recuperável é o ponto a partir do qual estamos a ultrapassar a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *