SAMe (S-Adenosil Metionina) e Benefícios para a Saúde

SAMe (S-Adenosil Metionina) e Benefícios para a Saúde

Hoje tratamos do SAMe, e o seu potencial papel benéfico sobre o organismo, especialmente sobre a saúde do fígado, paliar a osteoartrite e doenças neurológicas

Em geral, situações que aumentam o stress oxidativo e o risco de sofrer uma patologia como consequ~encia da produção de radicais livres; falamos da ação do NAC como precursor do GSH e do efeito que isso teve no organismo. O que é que não leste? Pois não o percas!

O que é o SAMe (S-Adenosil Metionina) e Qual é sua Função?

O SAMe é a forma na qual é apresentada o aminoácido metionina unido a uma molécula de ATP e atua no organismo como co-substrato “donante” de grupos metilo, os quais estão encarregues de atuar sobre as reações metabólicas do organismo enquanto reguladoras.

A depleção dos níveis de SAMe no organismo está associada a reduções nos níveis de GSH (glutation) e agravamento das condições relativas a patologias hepáticas em pessoas doentes

O que é e qual é a função do SAMe

Isto deve-se a que a síntese desta molécula é produzida no fígado, o qual quando se encontra afetado reduz a sua capacidade para producir SAMe e portanto agrava os efeitos negativos da sua condição. (Anstee & Day. 2012)

Efeitos do SAMe

Saúde Hepática

É aqui onde o SAMe mostra um benefício sobre a saúde hepática, em indivíduos com um fígado afetado por uma condição patológica, normalmente estudado como efeito de um consumo abusivo de álcool.

Same e saúde do fígado

Recordemos que estados de stress oxidativo como hipóxia, treino intenso, stress ambiental ou exposição a tóxicos (não apenas o álcool) geram este estado, pelo que o SAMe resulta numa ajuda interessante a incluir em indivíduos que apresentem uma diminuição na atividade da Metionina Adenosiltransferase (MAT), enzima que é responsável de sintetizar esta molécula no fígado.

De igual forma existem publicações que não validam os efeitos do SAMe sobre a proteção hepática, fundamentalmente baseados na ausência de ensaios clínicos metódicos e rigorosos com administração deste suplemento.

“Não encontramos efeitos significativos do uso de SAMe na mortalidade por todas as causas […], mortalidade relacionada com o fígado […], transplante hepático […] ou complicações” (Rambaldi & Gluud, 2006)

“O SAMe não melhora os resultados ou reduz a ocorrência de efeitos adversos para doenças hepáticas crónicas […] Mesmo assim, os resultados presentes têm um valor clínico limitado” (Guo et al., 2015)

No entanto, que os estudos não sejam conclusivos neste aspeto não deve desanimar relativamente ao SAMe, e se bem que é certo que os seus efeitos benéficos sobre o fígado se limitam a umas patologias que geram umas infeções concretas, sobre outros tecidos o SAMe demonstrou a sua eficácia.

Depois de comparar todas estas revisões, podemos concluir que o SAMe é um composto potencialmente benéfico sobre o fígado, especialmente quando a afetação sofrida limita a sua síntese. Existe falta de mais investigação para poder determinar uma conclusão mais contundente.

Osteoartrite

O SAMe demonstrou ter um efeito muito positivo no tratamento da osteoartrite, uma doença que degrada o tecido cartilaginoso das articulações e tem sintomas como a dor, inflamação e redução motriz.

SAMe e osteoartrite

Tratamento contra a Osteoartrite

O tratamento desta doença é orientado para a atenuação dos sintomas, reduzindo a dor e a inflamação. Para tanto, são utilizados os AINEs (anti-inflamatórios não esteroides), como o ibuprofeno, o paracetamol ou o naproxeno, cujo consumo continuado está relacionado com alterações negativas na mucose gástrica e na microbiota intestinal, daí que quando o consumo de AINEs é elevado são receitados protetores gástricos.

Soeken et al, (2002) recolhido na sua meta-análise 11 estudos onde se experimentou com consumo de entre 400mg-1200mg/diários de SAMe, comparando com AINEs e placebos…

…”o SAMe é mais eficaz a reduzir a limitação funcional em pacientes com osteoartrite […] o SAMe parece ser comparável com outros AINEs […] além de que os utilizadore tratados com SAMe reportaram menos efeitos adversos que aqueles que receberam AINEs”

Doenças Neurológicas

Além deste factos, o SAMe tem a capacidade de cruzar a barreira hemato-encefálica que reveste o cérebro, mostrando em diversos artigos como resulta um composto com um grande potencial para o tratamento de doenças neuropsiquiátricas, como nos mostram Sharma et al., (2017).

SAMe e Doença Neurodegenerativa

Redução da depressão em homens

O SAMe parece ser um composto sensível à distinção de género, resultando mais positivo sobre o tratamento em homens; assim referem Sarris et al., (2015) onde num ensaio clínico com uma metodologia “às cegas” demnostraram “uma redução significativa da severidade na depressão em homens com uma redução de 4.3 pontos na escala de depressão de 17 itens de Hamilton”; enquanto que as pacientes do género feminino não mostraram sensibilidade a este efeito positivo.

Conclusões

O SAMe é um composto certamente recente, que requer maior investigação para esclarecer os mecanismos de ação ainda desconhecidos que induzem certos efeitos positivos no organismo.

A suplementação oral com SAMe pode ser um suplemento interessante ao uso de NAC, mas nunca, na minha opinião, um substituto do mesmo ou substituir o seu uso em prol do SAMe.

A priori, com os dados disponíveis, pode resultar um suplemento realmente interessante para pacientes com patologia hepática e deficiências nesta molécula, assim como para pessoas de qualquer idade, especialmente população idosa que são target de doenças neuro- e artro- degenerativas sobre as quais o SAMe parece mostrar resultados prometedores.

Fontes Bibliográficas

  1. Anstee, Q., Day, C. (2012). S-adenosylmethionine (SAMe) therapy in liver disease: A review of current evidence and clinical utility, Journal of Hepatology, Pages 1097-1109.
  2. Guo, T., Chang, L., Xiao, Y., & Liu, Q. (2015). S-Adenosyl-L-Methionine for the Treatment of Chronic Liver Disease: A Systematic Review and Meta-Analysis. PLoS ONE, 10(3), e0122124.
  3. Rambaldi, A; Gluud, C. (2006) S-adenosyl-L-methionine for alcoholic liver diseases. Cochrane Database of Systematic Reviews. 2. 10.1002/14651858.CD002235.pub2
  4. Sarris, J., Price, L. H., Carpenter, L. L., Tyrka, A. R., Ng, C. H., Papakostas, G. I., … Mischoulon, D. (2015). Is S-Adenosyl Methionine (SAMe) for Depression Only Effective in Males? A Re-Analysis of Data from a Randomized Clinical Trial. Pharmacopsychiatry, 48(4-5), 141–144.
  5. Sharma, A., Gerbarg, P., Bottiglieri, T., Massoumi, L., Carpenter, L. L., Lavretsky, H., … Mischoulon, D. (2017). S-Adenosylmethionine (SAMe) for Neuropsychiatric Disorders: A Clinician-Oriented Review of Research. The Journal of Clinical Psychiatry, 78(6), e656–e667.
  6. Soeken, K.; Lee, WL.; Bausell, B.; Agelli, M. & Berman, B. (2002). Safety and efficacy of S-adenosylmethionine (SAMe) for osteoarthritis. The Journal of family practice. 51. 425-30.

Entradas Relacionadas

Avaliação SAMe

O que é - 100%

Para que é utilizado - 100%

Benefícios - 100%

Conclusões - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Alfredo Valdés
Alfredo Valdés
É especialista em treino de fisiopatologia metabólica e nos efeitos biomoleculares da alimentação e do exercício físico.
Confira também
quercetina saúde cardiovascular
Quercetina – Um aporte antioxidante natural para retardar o envelhecimento

A quercetina é uma substancia de elevado poder antioxidante a que se adjudicam notáveis propriedades …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.