Por que razão as Pessoas não fazem Exercício?

Por que razão as Pessoas não fazem Exercício?

Existe uma longa lista de razões e argumentos que podem responder à pergunta, Por que motivo as Pessoas não fazem Exercício?

Hoje tentamos analisar o porquê desse fracasso continuado, esta vez no âmbito do exercício físico. O porquê das pessoas hoje em dia não fazerem exercício físico e é sedentária, é uma pergunta que deveríamos estar à procura dia após dia.

No post de hoje vou referir-me ao “exercício físico”, mas podemos também estar a falar da “atividade física”.

Costume ou hábito: o fator fundamental

Os profissionais estam cansados de o dizer: em qualquer intervenção dirigida para a melhoria da qualidade de vida, o hábito é essencial

A capacidade das pessoas de “fazer o que há que fazer durante o tempo que o temos que fazer”, seria uma boa e básica forma de definir “hábito/costume”.

Por que motivo estou gordo?

E não é para menos, uma vez que costuma ser o fator que falha na maioria dos casos numa tentativa de melhoria da saúde

Não falham as dietas. Não falham os protocolos. Não falham os treins. Não falham as rotinas. Falha o hábito e o costume

Vamos analisar quais são as razões que contribuem para que tenhamos uma população cada vez mais sedentária, mas de certeza que podes deixar-nos muitos mais nos comentários:

Motivação

As motivações para uma pessoa se mexer variaram muito em pouco tempo

Não necessitamos (apenas) mover-nos para comer, nem para beber. Ainda me lembro quando os meus avós me contavam que todas as manhãs tinham que andar 5 km para ir ao poço buscar água potável.

É algo a assinalar. Hoje em dia desde a aplicação do smartphone podemos encomendar três pizzas, e dentro de pouco tempo o entregador já as vai meter na nossa boca já mastigadas. A densidade de supermercados e pontos de compra aumentaram nos últimos 10 anos.

Em suma, os “motivos” pelos quais as pessoas se mexem mudaram muito e, quer queiramos quer não, o principal continua a ser a motivação estética.

O que acontece então com a pessoa acomodada, de idade média e que não persegue nenhum fim estético, ou então o avozinho que não quer saber dessa coisa da estética?

Que não têm nenhum tipo de motivação para fazer exercício.

Sedentarismo

E por isso temos uma população em que 60% são sedentários

As pessoas necessitam motivos para começar a movimentar-se e um hábito que os mantenha em movimento

Idade

Já alguma vez ouvir falar da frase: Com a minha idade, para que vou eu fazer exercício

Continuamos a ter a ideia enquanto sociedade de que o exercício e a atividade física são coisa da juventude e que conforme se vai envelhecendo temos que nos tornar mais sedentários e cheios de rugas de forma irremediável.

Temos uma epidemia de sarcopenia entre os nossos mais velhos (e nem tanto) que apenas se pode solucionar com exercício físico.

Temos que meter na cabeça aos nossos entes com mais idade que não temos que parar quando se envelhece, porque precisamente se envelhece quando se para

Fatores sociais

Trabalho

Os que prescrevem o exercício físico têm muito claro os seus benefícios, mas por vezes não nos sabemos colocar na pele da outra pessoa

Estou cansado de engolir as minhas próprias palavras quando digo “…tem que treinar diariamente…” e respondem “…eu, querido doutor, sou taxista, trabalho 14 horas diárias em turnos imprevisíveis e quando chego a casa o único que quero é que me deixem tranquilo no sofá…”.

Estresse laboral

A atividade profissional é uma grande condicionante no momento de realizar exercício físico e de se ser saudável

Por isso é tão importante desenvolver programas de exercício físico no âmbito laboral, legislar a esse respeito e oferecer ao cliente estratégias e treino que maximizem o costume e comprometam o menos possível o estilo de vida da pessoa.

A realidade é bastante distinta ao que os profissionais por vezes pensam

Nível sócio-económico

Por falar de duras realidades, quando uma pessoa está farta e o seu pensamento está dirigido para vaticinar se os seus filhos vão poder comer ou não nos últimos dias do mês, não lhe fales de exercício físico.

Isto que pode parecer uma situação extrema, é a realidade de milhares e milhares de pessoas diariamente. O contexto socioeconómico é outro grande condicionalismo.

Se queremos que as pessoas sejam mais ativas e se exercitem mais, retiremos a população da precariedade laboral

Ambiente do indivíduo

O ambiente é tudo. Se te rodeias de pessoas ativas, serás mais ativo. Se os teus amigos saem para passear à tarde, vais ter mais probabilidades de o fazeres também. Se os teus amigos vão tomar umas cervejas, tu também. Se tens um grupo de amigos no ginásio, vais criar esse hábito também.

Maus hábitos alimentares

Se o teu grupo de amigos é sedentário, vão combinar para ver uma série ou tomar umas tapas

Rodeia-te de pessoas cujo estilo de vida querias que fosse o teu

Preconceitos

Continuam a existir preconceitos em redor do exercício físico que condicionam o indivíduo:

  • “As mulheres ficam grandes se treinam com pesos”
  • “Na gravidez não podes fazer exercício”
  • “As crianças não devem tocar nos pesos”
  • “Se estás constipado não treines”
  • “A sala de musculação é para culturistas vaidosos”
  • “Treinar com muito peso é mau para as costas”
E assim podemos escrever um livro. Estes preconceitos são como pedras que se te metem no sapato e impedem andar a bom ritmo. Y tirar isso da cabeça não é nada fácil

Prioridades

Existe uma discordância entre o que as pessoas pensam que é a sua prioridade e o que demonstram as suas ações

Se fizermos a pergunta a 10 pessoas de forma aleatória na rua “o que é o mais importante para ti”, pelo menos 6 ou 7 vão dizer “a saúde”.

No entanto, isto é uma ideia e um princípio que despois não se costuma materializar em ações concretas para proteger essa saúde. Os hábitos, condicionalismos e problemas costumam ganhar a batalha.

Excesso de peso e Sedentarismo

A saúde não é uma prioridade para a maioria das pessoas

Por isso temos uma população com execesso de peso, que continua a fumar e que não se mexe

Educação

Desde pequenos que nos metem na cabeça que a “educação física” é menos importante que as outras disciplinas principais, que as atividades desportivas são “ócio”, que “o primeiro é o primeiro”… Associámos inconscientemente o exercício físico a algo hierarquicamente inferior a outras coisas “mais importantes”.

bons hábitos

E levamos este condicionalismo para a nossa idade adulta

Faz falta inculcar uns bons hábitos desde a infância, sendo os pais o melhor exemplo para as crianças, ou seja, para o futuro

Ócio tecnológico

Vivemos na era Fortnite…

Os Streamers ganham barbaridades a jogar videojogos precisamente porque têm um público fiél e crescente.

Os pobres pais e mães trabalhadores deixam os seus filhos diante do ecrã enquanto fazem a lida da casa, vendo um momento de respiro perante a loucura da vida quotidiana, e os seus filhos estão a ver o seu youtuber favorito a jogar online.

Adolescentes e acne

Cada vez há menos rapazes na rua a brincar, e isto entristece muito

O ócio passou de ser um ócio ao ar livre, um ócio saudável , um ócio desportivo, para se tornar num ócio tecnológico

Quando tinha 10 anos brincava com o meu grupo de amigos no parque todas as tardes e, apesar de às vezes se acabar à pedrada ou a brigar, recordo a sensação de cansaço e fome ao chegar a casa depois de 4 horas a correr e a saltar. Crio que isso é justamente o que se está a perder.

Mas claro, o culpado da epidemia da Obesidade é o cola-cao ou as bolachas Maria… 🙄

Vemo-nos no próximo post!

Fontes Bibliográficas

  1. Schutzer KA, Graves BS. Barriers and motivations to exercise in older adults. Preventive Medicine. 2004.
  2. Korkiakangas EE, Alahuhta MA, Laitinen JH. Barriers to regular exercise among adults at high risk or diagnosed with type 2 diabetes: A systematic review. Health Promot Int. 2009;
  3. Justine M, Azizan A, Hassan V, Salleh Z, Manaf H. Barriers to participation in physical activity and exercise among middle-aged and elderly individuals. Singapore Med J. 2013;
  4. Mailey EL, Phillips SM, Dlugonski D, Conroy DE. Overcoming barriers to exercise among parents: a social cognitive theory perspective. J Behav Med. 2016.

Entradas Relacionadas

  • O Sedentarismo Mata
  • Hábitos Sedentários: Pela tua saúde, muda-os o quanto antes!
  • Síndrome Metabólico, a Pandemia Mundial
Avaliação Razões para Não Fazer Exercício

Falta de adesão - 100%

Falta de adesão - 100%

Estar mais velho - 100%

Fatores sociais - 100%

Prioridades - 100%

Ócio tecnológico - 100%

100%

HSN Evaluação: 5 /5
Content Protection by DMCA.com
Sobre Borja Bandera
Borja Bandera
Borja Bandera, um jovem médico dedicado às áreas da nutrição, exercício e metabolismo, que combina a sua atividade clínica com a sua vocação divulgativa.
Confira também
Microbiota e obesidade
A Microbiota é a chave para vencer a Obesidade?

O estudo da microbiota surpreendeu o setor científico de forma desmedida, até tal ponto que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.